BCN 

Médicos registram boletins de ocorrência após carteirinha apontar que teriam recebido mais de 2 doses de vacinas contra Covid

Compartilhar

Profissionais que atuam em São José dos Campos (SP) afirmam que carteirinha virtual mostra doses extras de imunizantes que eles não teriam recebido. Todas as aplicações constam como feitas em unidades de saúde, mas eles receberam vacina em hospitais. Médicos registram boletins de ocorrência após carteirinha apontar que teriam recebido mais de 2 doses de vacinas contra Covid
Prefeitura de Jundiaí/Divulgação
Três médicos de São José dos Campos (SP) registraram boletins de ocorrência após acessar o certificado de vacinação contra Covid e perceber que o sistema apontava que eles teriam tomado doses a mais. Em um dos casos, uma médica teria recebido três doses de imunizantes diferentes. A Polícia Civil investiga o caso.
Os profissionais contam que foram imunizados nos hospitais em que atendem, na leva dos profissionais de saúde da linha de frente.
Os boletins de ocorrência foram feitos entre os dias 22 e 28 de abril em delegacias da cidade. De acordo com as vítimas, elas tentaram baixar o certificado de vacinação no aplicativo do Ministério da Saúde quando perceberam que o aplicativo mostrava doses extras da vacina.
De acordo com a Polícia Civil, são três boletins de ocorrência abertos para apurar o crime de peculato. Os médicos devem prestar depoimento ainda esta semana.
Além da dose que tinham tomado, apareceram imunizações feitas em datas diferentes em unidades de saúde da cidade, todas próximas das casas dos médicos.
Uma das médicas trabalha em hospital da rede privada da cidade. Ao G1 ela contou que em seu certificado constam três aplicações diferentes. A que de fato fez, a primeira dose de Coronavac em 20 de janeiro e a segunda dose em 12 de fevereiro.
Mas de forma incorreta foram acrescentadas no sistema doses de CoronaVac aplicadas nos dias 22 de janeiro e 16 de fevereiro. Além de uma dose de Covishield, da Fiocruz, em 22 de janeiro. Todas as doses foram aplicadas na UBS Centro II, de São José, próximo à casa da médica.
“Eu fui baixar o meu atestado de vacina e me deparei com isso. Quando tomei a vacina eu assinei um termo. Se a prefeitura está dizendo que fomos vacinados com doses em UBS, quero que mostrem o termo e provem que, de fato, recebemos essas doses a mais. Não faz sentido nenhum o que está acontecendo”, contou ao G1 a médica.
Um outro médico que atua no hospital municipal de São José dos Campos disse que também foi surpreendido ao acessar seu atestado de vacinação. No documento do Ministério da Saúde, ele constava como tendo sido imunizado com as duas doses de Coronavac oficiais, mas outras duas doses que foram aplicadas no mesmo dia na Unidade Básica de Saúde do bairro Tatetuba.
“Não é um erro de cadastro. Eu não sei o que houve, mas fiz o boletim de ocorrência e acionei o Ministério Público para que seja apurado o que houve”, disse ao G1.
O que diz o Ministério da Saúde e a prefeitura
A reportagem acionou o Ministério da Saúde que explicou que o sistema emite o certificado de vacinação com base nos dados que são fornecidos pelas prefeituras.
A Prefeitura de São José dos Campos foi procurada pelo G1, que aguardava o retorno até a publicação.
O hospital viValle, onde trabalha uma das médicas informou que não foi notificado sobre o assunto e ressaltou que “realiza a imunização de seus colaboradores contra a Covid-19 seguindo todas as orientações dos órgãos responsáveis. O viValle confirma ainda que, o registro das doses ofertadas foi feito no sistema oferecido pelo governo municipal, contendo as informações solicitadas”.
Outro caso
Sem ter sido vacinada, mulher se surpreende ao constar como imunizada contra Covid
Na última semana o G1 revelou o caso da empresária de 59 anos que consta como vacinada pelos aplicativos do governo federal e prefeitura. Virgínia Bonatti Pereira percebeu a vacinação quando acessou os aplicativos para deixar o cadastro em dia, na expectativa da aplicação da vacina.
De acordo com o sistema, ela teria recebido a dose da vacina Astrazeneca no dia 15 de fevereiro na Unidade de Saúde de Eugênio de Melo. Assustada, Virgínia decidiu consultar o aplicativo ‘Saúde na Mão’, da Prefeitura de São José dos Campos. E lá também constava que ela teria recebido a dose e informava, inclusive, o lote do imunizante.
À época do caso, a prefeitura informou que abriria uma investigação para apurar. Nesta segunda-feira (3) a reportagem conversou com a paciente que contou que ainda consta como imunizada no sistema.
De acordo com o calendário de vacinação de São José dos Campos, nesta semana vão ser vacinadas pessoas entre 62 e 60 anos.
Veja mais notícias do Vale do Paraíba e região bragantina
O hospital viValle, onde trabalha uma das média

Compartilhar

You May Also Like

Deixe uma resposta