BCN 

Filósofo Antonio Paim morre aos 94 anos

Compartilhar

Causa da morte não foi divulgada. Ele vivia em uma casa de repouso para idosos no Jardim Bonfiglioli, em São Paulo. Antonio Paim
Reprodução / Academia Brasileira de Filosofia
O filósofo e historiador baiano Antonio Paim morreu nesta sexta-feira (30), aos 94 anos, informaram a Academia Brasileira de Filosofia, da qual foi fundador e presidente de honra, e o Instituto Liberal.
Paim é considerado um dos grandes expoentes do pensamento liberal brasileiro. Em 1985 venceu o Prêmio Jabuti, com o clássico “A história das ideias filosóficas no Brasil”.
A causa da morte não foi divulgada. Ele vivia em uma casa de repouso para idosos no Jardim Bonfiglioli, em São Paulo, às margens da Rodovia Raposo Tavares.
Antonio Paim
Reprodução / Instituto Liberal
Nascido em Jacobina, na Bahia, em 7 de abril de 1927, Paim cursou os estudos superiores em Filosofia na Universidade Lomonosov, na União Soviética, e na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), onde também atuou como professor. Lecionou ainda em programas de graduação e de pós-graduação na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), Universidade Gama Filho, Universidade Presbiteriana Mackenzie, Universidade Federal de Juiz de Fora e na Universidade Católica Portuguesa.
Paim foi um militante do Partido Comunista Brasileiro e estudioso do marxismo na Universidade Estatal de Moscovo. Posteriormente, porém, guinou para o liberalismo democrático, e passou a ser crítico do marxismo. A partir de então seus estudos se concentraram na história da política brasileira, no pensamento filosófico luso-brasileiro e no próprio liberalismo.
O filósofo é autor de centenas de artigos acadêmicos e de dezenas de livros, além de ter organizado a reedição dos trabalhos de diferentes autores brasileiros e prefaciado as obras de muitos deles. Entre os seus livros, estão “História das ideias filosóficas no Brasil”, “Problemática do culturalismo”, “A querela do estatismo”, “O liberalismo contemporâneo”, “Marxismo e descendência” e “História do liberalismo brasileiro”.
Em entrevista ao jornal O Globo, em 2019, o filósofo falou sobre sua relação com Vélez Rodriguez, que foi ministro da Educação do governo de Jair Bolsonaro e de quem foi professor na década de 1970. “O Brasil é o único país do mundo, além da França, onde o comunismo parece que não acabou”, afirmou à época.
Nota da Academia Brasileira de Filosofia:
Antônio Paim (1927-2021)
A Academia Brasileira de Filosofia lamenta comunicar o falecimento do seu Presidente de Honra e Fundador, Antônio Ferreira Paim. Antônio Paim notabilizou-se pelos seus estudos em Filosofia, em História da Filosofia no Brasil e pela meditação sobre as questões maiores do pensamento brasileiro. Em sua vasta obra destaca-se a História das Ideias Filosóficas no Brasil. Um clássico ainda não superado. Foi merecedor do Prêmio Jabuti (1985) e do Prêmio Nacional do Livro de Estudos Brasileiros (1968). A Academia Brasileira de Filosofia solidariza-se com seus parentes e amigos.
Nota do Instituto Liberal:
O professor Antonio Paim, ícone da filosofia, das ciências sociais e, particularmente, do liberalismo brasileiro, faleceu hoje, deixando um imenso legado para todos que trabalham para estruturar a alternativa liberal em bases sólidas. O Instituto Liberal se solidariza com os entes queridos e os grandes discípulos formados pelo professor e considera seu dever tomar parte na preservação de sua memória e do significado de seu trabalho.

Compartilhar

You May Also Like

Deixe uma resposta