BCN 

Com novo decreto, fiscalização do toque de recolher em Campinas fica restrita ao fim de semana

Compartilhar

Ações para combater aglomerações ficarão restritas entre 21h01 de sexta-feira e 4h59 da madrugada de segunda-feira. Dário Saadi, prefeito de Campinas
Manoel de Brito
As ações de fiscalização do toque de recolher em Campinas (SP) ficarão restritas aos finais de semana, entre 21h01 de sexta-feira e 4h59 da madrugada de segunda-feira. A determinação faz parte do novo decreto que prorroga a fase de transição do Plano SP até o dia 9 de maio e permite, a partir deste sábado (1º), a ampliação dos horários de funcionamento de comércios e serviços. Veja abaixo.
De acordo com o Secretário de Justiça, Peter Panutto, o decreto publicado nesta sexta mostra que a cidade caminha para uma fase menos rígida e por isso as regras tornam-se menos rígidas também.
Apesar de concentrar a fiscalização aos finais de semana, para evitar aglomerações e festas clandestinas, o toque de recolher está mantido entre 20h e 5h nos dias úteis, sendo que órgãos da prefeitura podem agir por meio de denúncia.
As informações foram confirmadas durante coletiva em que o prefeito, Dário Saadi (Republicanos), apresentou novos números da Covid-19 no município e destacou que as ações tomadas pela administração nos últimos meses ajudaram a melhorar o cenário da pandemia em relação ao estado.
Estudo elaborado pelo Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa) mostra que, até o dia 27 de abril, Campinas registrou queda de 34% nas mortes em relação ao mês anterior, o mais mortal da pandemia, enquanto no estado de São Paulo, o total de óbitos no período foi 20% maior.
“Esse dado é muito consistente. (…) É uma vitória da cidade de Campinas, não é uma vitória da prefeitura. (…) Isso tem que ser comemorado do ponto de vista de enfrentamento da pandemia”, disse.
Entretanto, apesar de Campinas apresentar uma redução nos óbitos em abril em relação a março, os números colocam o mês como o segundo com mais vidas perdidas na metrópole pela doença, superando julho de 2020, pico da primeira onda.
Diante disso, Dário Saadi fez um alerta e reforçou que a “pandemia está longe de ser controlada”.
“A segunda onda, ela foi muito mais alta em número de casos, internações. O que estamos dizendo é que enquanto o estado de São Paulo teve 20% de aumento de mortes, Campinas teve 34% a menos. Essa segunda onda, principalmente pela variante P.1, que é mais agressiva, mais contagiosa, não é para comemorar de jeito nenhum. A pandemia está longe de ser controlada”, afirmou.
Vacinação contra a Covid
Dário aproveitou a coletiva para falar que, em encontro com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que esteve em Campinas para acompanhar a chegada de doses da Pfizer compradas pelo governo federal, pediu para o município possa receber parte das próximas remessas do imunizante.
Por questões técnicas de armazenamento e logística, o 1 milhão de vacinas que desembarcou em Viracopos será distribuído pelo governo federal às 27 capitais.
Enquanto novas doses não chegam, a diretora do Devisa, Andrea Von Zuben, detalhou que Campinas atingiu a imunização de praticamente todos os idosos com mais de 70 anos.
Segundo ela, apenas um grupo entre 80 e 84 anos, que recebeu a primeira dose da vacina da Astrazeneca, ainda não está totalmente imunizado – a segunda dose deve ser administrada com intervalo de três meses.
Apesar disso, números mostram uma queda no percentual de pessoas mais idosas entre os mortos por Covid na cidade. Na população com mais de 90 anos, o índice caiu de 11,2% em junho de 2020, para 2,2% em abril de 2021.
“Hoje não temos ninguém com mais de 90 anos internado na rede”, disse Andrea.
Ampliação de horários
Com o novo decreto, comércio e serviços podem ficar abertos das 6h às 20h a partir deste sábado (1º). A ampliação do horário na fase de transição foi anunciada pelo governador João Doria (PSDB) na quarta-feira (28). Os estabelecimentos, no entanto, devem respeitar a capacidade de 25% e distanciamento de 1,5 metro. Veja abaixo os setores que podem funcionar das 6h às 20h.
Comércio e serviços
Shoppings
Atividades religiosas
Restaurantes e similares
Atividades culturais (cinemas, teatros, museus, eventos e convenções)
Clubes
Academias
Salões de beleza e barbearia
A única diferença de horário é para os parques públicos, que devem ficar abertos apenas das 6h às 18h. Apesar da ampliação do horário de restaurantes, bares continuam proibidos de funcionar para atendimento presencial. Leia o decreto na íntegra.
VÍDEOS: Tudo sobre Campinas e Região
Initial plugin text
Veja mais notícias da região no G1 Campinas

Compartilhar

You May Also Like

Deixe uma resposta