BCN 

Mãe e filha morrem com Covid-19 no intervalo de 9 dias no mesmo hospital: ‘Disse que cuidaria da filha’

Compartilhar

Maria Roberta da Conceição Xavier, de 67 anos, e Fabiana da Conceição Xavier, de 41, foram internadas no Hospital de Bertioga, no litoral paulista, mas não resistiram. Maria Roberta e Fabiana tiveram complicações causadas pela Covid-19 e não resistiram
Arquivo Pessoal
Mãe e filha morreram em um intervalo de nove dias no mesmo hospital em Bertioga, no litoral de São Paulo, por complicações da Covid-19. Maria Roberta da Conceição Xavier, de 67 anos, e Fabiana da Conceição Xavier, de 41, foram internadas, mas não resistiram à doença. Em entrevista ao G1 nesta quinta-feira (29), o esposo de Fabiana relembrou que, ao ser internada, a idosa disse que iria até lá para cuidar da filha.
“Minha sogra foi internada no dia em que minha esposa fazia uma cirurgia. Ao chegar ao hospital, só perguntava da filha, disse para mandar um beijo, e que cuidaria da filha. Falou ‘vim para cuidar dela’, mas faleceu sem saber que a Fabiana tinha morrido”, conta o promotor de vendas Clodoaldo Souza dos Santos, de 40 anos.
Clodoaldo explica que a esposa foi a primeira a apresentar sintomas, a partir de 4 de abril. Fabiana começou a sentir tontura, e ele, por já ter sido contaminado no último ano, decidiu buscar ajuda e isolá-la em casa. Ele a levou ao Hospital de Bertioga algumas vezes, até que ela precisou ser internada na unidade. A doença provocou complicações, e ela precisou fazer uma cirurgia de emergência no intestino.
Mãe e filha morreram no intervalo de 9 dias em Bertioga, SP
Arquivo Pessoal
No dia em que ela realizava o procedimento, a mãe dela também foi internada por conta da doença. Maria Roberta, que tinha outros problemas de saúde, estava começando a ficar desorientada. Ela chegou a tratar a doença por alguns dias em casa, mas a situação se agravou.
Fabiana morreu uma semana após ser internada, no dia 16 de abril, devido a complicações da doença. A idosa não soube do falecimento da filha, e apenas nove dias depois, em 25 de abril, teve cinco paradas cardiorrespiratórias e não resistiu. O momento foi muito difícil para a família, relata Clodoaldo, especialmente pelo fato de a esposa deixar dois filhos.
A família prestou uma homenagem a ambas nas redes sociais, e usou a história para alertar as pessoas sobre a gravidade da doença. “Elas [esposa e sogra] eram espetaculares. Fortes, super mães, pessoas maravilhosas. Estamos tentando nos conformar com tudo isso”, diz. Ele ainda reitera a importância de levar a sério a Covid-19, e de tomar os cuidados necessários.
“A gente só passa a acreditar realmente na doença quando está na nossa família. Mesmo nos cuidando, fomos contaminados, e estamos tentando aceitar a situação. As pessoas precisam ser alertadas, porque da mesma forma que atingiu a minha família, pode chegar à casa de qualquer uma”, conclui.
VÍDEOS: G1 em 1 Minuto Santos

Compartilhar

You May Also Like

Deixe uma resposta