BCN 

Centro de Controle de Zoonoses confirma 53 novos casos de leishmaniose canina em Presidente Prudente

Compartilhar

Prefeitura informou que proprietários dos cães positivados foram comunicados do diagnóstico e receberam orientações sobre a doença. Município tem 58 registros da enfermidade em 2021. Funcionários do Centro de Controle de Zoonoses de Presidente Prudente tiram sangue de cão para exame de leishmaniose
Cedida/Secom
O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) confirmou 53 novos casos de leishmaniose visceral canina, nesta terça-feira (27), em Presidente Prudente. Destes, sete foram notificados por clínicas veterinárias do município e somente um caso é importado. Somado aos casos confirmados no primeiro bimestre, Presidente Prudente registra 58 casos da doença em 2021.
Conforme a Prefeitura, todos os proprietários de cães com leishmaniose foram comunicados do diagnóstico e receberam orientações sobre a doença, sua forma de transmissão e as medidas de prevenção.
“A leishmaniose visceral é uma doença grave, transmitida pela picada do mosquito-palha, que pode levar à morte de pessoas e animais. No homem, a doença causa febre, emagrecimento, desconforto abdominal, aumento de baço e fígado e fraqueza. No ambiente urbano, o cão é o principal reservatório da doença. No entanto, não há transmissão por contato direto com o animal, como nos casos de mordidas ou lambeduras. A transmissão ocorre pela picada do mosquito-palha infectado. No cão, a leishmaniose visceral causa emagrecimento, fraqueza, queda de pelo, crescimento exagerado das unhas, feridas no focinho, nas orelhas e ao redor dos olhos, além de problemas de pele diversos”, explicou o gerente do CCZ, Ricardo Pisca.
No entanto, o CCZ destacou que muitos animais sadios podem estar infectados. São os portadores assintomáticos. Os cães, nesta fase, mesmo sem qualquer alteração clínica, ao serem picados pelo mosquito-palha, mantém a doença circulando na cidade.
Segundo o órgão municipal, os sintomas nos cães podem demorar de três meses a vários anos para aparecer, com média de três a sete meses. Assim, é altamente recomendado que cães sadios realizem o exame, no mínimo a cada seis meses. O CCZ realiza o exame de forma gratuita.
Prevenção
As larvas do mosquito-palha se criam em locais sombrios, com vegetação e acúmulo de matéria orgânica em decomposição, como nas situações de acúmulo de folhas e frutos caídos, além de fezes de animais.
“Promova a limpeza rotineira de seu quintal e a poda regular das árvores. Adicionalmente, use em seu cão coleira repelente (a base de Deltametrina a 4%), pois esta coleira é capaz de afastar os insetos transmissores. Procure mais informações sobre as condições de uso destas coleiras junto ao CCZ ou com seu médico veterinário”, concluiu Ricardo Pisca.
VÍDEOS: Tudo sobre a região de Presidente Prudente
Veja mais notícias em G1 Presidente Prudente e Região.

Compartilhar

You May Also Like

Deixe uma resposta