BCN 

Após laudo comprovar fraude, Prefeitura abre sindicância para investigar enfermeira que fingiu aplicar vacina em Ribeirão Preto

Compartilhar

Funcionária pode ser suspensa, multada ou até demitida. Instituto de Criminalística (IC) confirmou que imunizante continuou na seringa após agulha ser retirada do braço da paciente. Suposta falsa aplicação da vacina contra Covid em Ribeirão Preto foi registrada pelo filho de uma idosa
EPTV/Reprodução
Após o Instituto de Criminalística (IC) ter comprovado que uma enfermeira de Ribeirão Preto (SP) não imunizou uma idosa de 84 anos, a Secretaria Municipal de Saúde abriu nesta segunda-feira (26) uma sindicância administrativa para apurar a conduta da profissional de saúde.
A abertura da investigação, assinada pelo secretário de Saúde, Sandro Scarpelini, foi publicada no Diário Oficial do Município. O prazo para a conclusão da sindicância é de 30 dias. Após o período, a enfermeira pode ser suspensa, multada ou até demitida.
A idosa foi até o posto de saúde do bairro Jardim Juliana para ser vacinada em 8 de março, mas seu filho, que filmava a aplicação, procurou a Polícia Civil após ver que o imunizante não havia sido aplicado. O laudo do IC, encomendado pela polícia, confirmou a suspeita.
O filho, o aposentado Horário Eduardo Boss, informou ao G1 na noite desta segunda-feira (26) que sua mãe recebeu uma dose do imunizante em 29 de março, o que seria equivalente à segunda etapa da imunização. Como o laudo comprovou que a primeira não foi aplicada, ele cobra mais uma dose.
Procurada, a Secretaria Municipal de Saúde afirmou que não foi possível apurar informações sobre a vacinação da idosa até a publicação desta reportagem.
Laudo aponta que enfermeira fingiu aplicar vacina contra Covid-19 em Ribeirão Preto, SP
O que diz a perícia
De acordo com o laudo do Instituto de Criminalística, não houve alteração na posição da rolha de retenção da seringa, indicando que o líquido não foi injetado no braço da idosa durante a vacinação na Unidade Básica de Saúde (UBS).
O perito responsável extraiu quadros do vídeo que mostram, com nitidez, a rolha e os contornos da seringa antes da perfuração, durante e após a aplicação. Comparadas, as imagens mostram que o líquido permaneceu no interior da seringa depois que a funcionária terminou a aplicação.
Laudo da perícia aponta que idosa não recebeu dose da vacina aplicada por enfermeira em Ribeirão Preto
Reprodução
Penalidades
Em paralelo à sindicância da Prefeitura, o Ministério Público (MP) acompanha o caso. O promotor Paulo Teotônio afirma que a enfermeira pode ser denunciada à Justiça por infração ao artigo 97 do Estatuto do Idoso.
O artigo 97 ao qual o promotor se refere prevê detenção de seis meses a um ano à pessoa que deixa de prestar assistência ao idoso ou dificulta a assistência dele à saúde.
O caso será encaminhado à Promotoria de Justiça da Saúde e, segundo Teotônio, a funcionária pode responder ainda por associação criminosa e eventual prevaricação e peculato.
O promotor de Justiça Paulo Teotônio
Reprodução
Veja mais notícias da região no G1 Ribeirão Preto e Franca
VÍDEOS: Tudo sobre Ribeirão Preto, Franca e região

Compartilhar

You May Also Like

Deixe uma resposta