BCN 

Mãe implora por UTI para filho com Covid-19 em Bebedouro, SP: ‘Por favor, arrumem uma UTI’

Compartilhar

Segundo a família, Leandro Porto Nischida, de 47 anos, espera por internação em hospital desde quinta-feira (22). Diabético e hipertenso, ele é mantido intubado na UPA da cidade. Mãe pede vaga em UTI para filho que está intubado em Bebedouro, SP
Mãe de um homem de 47 anos, intubado com Covid-19 na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Bebedouro (SP), Maria de Assis Porto Nischida chora ao implorar uma vaga de terapia intensiva para o filho.
“Por favor, gente, arrumem uma UTI para ele. Por favor”, pede dona Maria.
Segundo a família, Leandro Porto Nischida foi levado para a UPA no dia 18 de abril. Ele tinha sintomas graves do novo coronavírus e foi intubado quatro dias depois. O pedido de transferência para um hospital foi feito à Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde (Cross), responsável por identificar os leitos disponíveis, mas até agora ele aguarda uma vaga.
O paciente é diabético, obeso e hipertenso, o que deixa a família ainda mais preocupada com a demora para a internação em unidade de terapia intensiva (UTI).
“Ele está na fila esperando e não tem um hospital para ele, não tem uma UTI para ele. Estão lá mantendo ele vivo até achar uma UTI, só que eu não sei até quando ele vai aguentar”, diz a irmã Michele Porto Nischida.
Ao lado da filha, dona Maria de Assis Porto Nischida chora ao pedir vaga para filho com Covid-19 em Bebedouro, SP
Arquivo pessoal
Bebedouro faz parte da Diretoria Regional de Saúde 5, que tem sede em Barretos (SP). Nesta segunda-feira (26), a taxa de ocupação de UTIs nos hospitais da região é de 87,2%, segundo dados da Fundação Seade.
A mulher de Leandro, Jaine Nischida, diz que a família já recorreu à Justiça para tentar o leito para o marido, mas que o pedido foi negado. Ela afirma que o marido está assistido, mas o caso inspira cuidados que só um hospital tem condições de oferecer.
“O atendimento é bom, mas não é adequado à situação em que ele se encontra. A gente não sabe mais o que fazer para ele receber esse atendimento. Não tem vaga. O problema está sério, pessoas estão morrendo por falta de UTI. A situação é crítica, estamos sofrendo muito. É uma expectativa desumana o que está acontecendo aqui”, diz Jaine.
Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde informou que o pedido de vaga para Leandro está em regulação pela cross e que os médicos estão monitorando o caso com a finalidade de auxiliar na transferência.
Leandro Porto Nischida, de 47 anos, está intubado na UPA de Bebedouro, SP
Arquivo pessoal
Ainda de acordo com a secretaria, a sobrecarga na rede de saúde é uma realidade em diversos locais e os serviços do Sistema Único de Saúde (SUS) esforçam-se para garantir assistência.
Desde o início da pandemia, Bebedouro tem 4.499 casos de Covid-19 e 103 mortes.
Veja mais notícias da região no G1 Ribeirão Preto e Franca
Vídeos: Tudo sobre Ribeirão Preto, Franca e região

Compartilhar

You May Also Like

Deixe uma resposta