BCN 

Artistas de São Carlos adaptam peça teatral que une mitologia grega à era das redes sociais

Compartilhar

Exibição é gratuita e começa a partir desta segunda-feira (26) pela internet. Artistas de São Carlos estreiam na peça Cavalo de Tróia em encenação por vídeo chamada durante a pandemia
Divulgação
A peça de teatro que recebe o nome simbólico de C4V4L0 D3 TR014 (Cavalo de Tróia) é fruto de uma parceria entre artistas de São Carlos (SP), a Leneus Produtora de Arte e a BIG Produções e tem sua estreia marcada para esta segunda-feira (26).
O espetáculo une mitologia grega à era das redes sociais e da polarização política no Brasil, transferindo a encenação dos palcos para a tela dos dispositivos eletrônicos, em razão da pandemia de Covid-19.
A peça será exibida por meio do canal do YouTube da produtora Leneus de segunda a sexta-feira (30) em três horários diferentes, para contemplar todos os públicos.
As transmissões ocorrem todos os dias às 11h, às 15h e às 19h e os interessados podem assistir às sessões pela internet.
Narrativa
A narrativa consiste em uma atualização da história milenar do cavalo de Tróia que os gregos deram de presente ao povo troiano em sinal de trégua. Porém, o suposto presente era, na verdade, uma armadilha para espionar o inimigo, fazendo surgir a expressão que hoje se conhece por “presente de grego”.
Já o C4V4L0 D3 TR014 da peça se refere a um aplicativo inovador que promete extinguir as fake news, mas acaba sendo manipulado por hackers que invadem o sistema por meio das redes sociais e passam a perseguir opositores do governo.
Assim, o enredo busca debater assuntos que ocupam o topo da agenda pública atualmente, como os discursos polêmicos que emergem nas redes sociais, o negacionismo político e a cultura do cancelamento.
Adaptações
A peça no meio digital passou por várias adaptações. A diretora de fotografia do espetáculo, Iasha Salerno, falou sobre os desafios de gravação das cenas que tiveram de ser superados após a chegada da pandemia.
Com os artistas gravando separadamente de suas casas, Iasha precisou orientar um a um para evitar que houvessem falhas técnicas durante as encenações, como o posicionamento incorreto da câmera e do jogo de luzes do ambiente.
“Sempre antes da gravação, eu pedia aos atores e atrizes que me enviassem uma foto para fazer uma análise de como estava, para, então, batermos o martelo juntos”, explicou a diretora.
Reveja as reportagens do Bom Dia Cidade desta segunda-feira:
Veja mais informações da região no G1 São Carlos e Araraquara

Compartilhar

You May Also Like

Deixe uma resposta