‘Temos que seguir com as restrições’, diz secretário da Saúde de SP

Compartilhar

Jean Gorinchteyn defendeu manutenção das medidas, mas evitou comentar se estado irá prorrogar a fase emergencial, prevista para ser encerrada dia 11 de abril. Secretário vê queda em índices em índices da Covid, apesar de estado seguir batendo recorde de mortes. VÍDEO: ‘Nós temos que seguir com restrições’, diz secretário estadual da Saúde de SP
O secretário estadual da Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, disse nesta quarta-feira (7), em entrevista à GloboNews, que é preciso manter as restrições no estado. Entretanto, ele evitou comentar sobre uma nova prorrogação da fase emergencial.
Até a próxima segunda-feira, dia 11 de abril, São Paulo está na “fase emergencial”, que é ainda mais restritiva que a fase vermelha do Plano São Paulo. O governo estadual ainda não informou em qual classificação São Paulo estará a partir de segunda (12).
“Temos que seguir com restrições. No estado de São Paulo, estamos tendo apoio da população: chegamos a 53% da taxa de índice de isolamento. É isso que temos que olhar, as medidas implementadas estão impactando nos números”, disse Gorinchteyn.
O secretário enxerga queda em alguns índices da Covid. “O comparativo entre a 13ª e a 12ª semana epidemiológica mostrou uma queda no número não só de casos em 3%, o número de internações em 5,4% e também, à despeito de termos um incremento no número de óbitos, eles desaceleraram”.
Nesta terça, o estado de São Paulo bateu um novo recorde e registrou 1.389 mortes por Covid em um dia. Com isso, chegou a 78.554 o número de vidas perdidas para a doença no estado.
Jean Gorinchteyn sobre medidas restritivas : ‘Vamos continuar avaliando os índices e estratégias’
22º dia consecutivo com taxa de ocupação de leitos de UTI acima de 90%
Também nesta terça, o estado de São Paulo chegou ao 22º dia consecutivo com a taxa de ocupação de Unidades de Tratamento Intensivo (UTI) de pacientes com Covid-19 acima dos 90%.
São mais de 29 mil pessoas internadas em todo o estado, sendo quase 13 mil em leitos de UTI.
Ao menos 555 pessoas com Covid-19 ou suspeita da doença não resistiram à espera por um leito de UTI e morreram desde o início de março no estado de São Paulo. O levantamento é do G1 e da TV Globo.

Compartilhar

Deixe uma resposta