Santos registra primeira morte por chikungunya neste ano

Compartilhar


Vítima é um homem, de 87 anos, que morava no bairro do Macuco. Esposa e filha também tiveram a doença, mas se recuperaram. Mosquito Aedes aegypti, transmissor das doenças dengue, zika e chikungunya.
Divulgação/Governo ES
A cidade de Santos, no litoral paulista, registrou a primeira morte por chikungunya neste ano. Trata-se de um homem, de 87 anos, que morava no bairro do Macuco, segundo a administração municipal. No primeiro trimestre de 2021, a cidade já registrou 585 casos da doença.
A primeira morte de chikungunya registrada no município é de um homem de 87 anos. Segundo a Secretaria de Saúde, a esposa e a filha do idoso também contraíram a doença, mas conseguiram se recuperar e passam bem.
Nos primeiros três meses de 2020, a cidade registrou dois casos da doença em março. Já neste ano, de janeiro a março, foram são 585 casos de chikungunya.
Com a cidade enfrentando alto índice de novos casos de dengue e chikungunya, a Prefeitura afirma que está aumentando esforços para combater o mosquito Aedes aegypti, transmissor destas doenças mas é importante que a população também colabore observando situações de risco dentro de suas casas e no entorno denunciando pelo telefone 162 ou pela internet.
A prefeitura pede para que as pessoas que apresentem sinais e sintomas de dengue ou chikungunya procurem a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) mais próxima para serem avaliadas pelo médico. Os pacientes que não necessitarem de internação recebem, na UPA, um cartão de acompanhamento e passam a ser assistidos a cada 48 horas na policlínica de referência do bairro em que moram.
Sintomas da doença
A pessoa com chikungunya apresenta febre, náuseas e vômitos, olhos avermelhados, pele avermelhada, dores articulares bilaterais (dor no joelho direito e esquerdo simultaneamente, por exemplo), dores de cabeça.
Os sintomas da dengue são febre, náuseas e vômitos, manchas pelo corpo, dores musculares, dores nas juntas, dores de cabeça, dores nos olhos, pequenos hematomas. Sinais de alarme: Dor abdominal, vômitos persistentes, água no pulmão, sangramento de mucosas, sonolência e letargia e pressão baixa.
VÍDEOS: G1 em 1 minuto em Santos

Compartilhar

Deixe uma resposta