Idosos de grupos prioritários enfrentam dificuldades para receber vacina contra Covid em Bofete

Compartilhar


Cidade tem cerca de 12 mil habitantes, segundo IBGE, e 125 idosos de 68 a 80 anos ainda estão na fila de espera para receber a primeira dose do imunizante. Bofete (SP) enfrenta dificuldades para vacinar grupos prioritários contra a Covid-19
Reprodução/TV TEM
Os idosos da cidade de Bofete (SP) estão enfrentando dificuldades para serem vacinados contra a Covid-19, já que não há mais doses disponíveis para os grupos prioritários.
O município tem cerca de 12 mil habitantes, de acordo com o IBGE, e há 125 pessoas do público de 68 a 80 anos aguardando na fila para receber a primeira dose do imunizante.
Deste total, a prefeitura informou que o grupo mais crítico é o das pessoas de 72 a 74 anos, no qual 45 idosos ainda não tomaram a primeira dose. Na cidade, apenas a vacinação de idosos com mais de 85 anos foi concluída.
Uma idosa de 75 anos, moradora da zona rural, que não quis se identificar, contou à TV TEM que a vacinação do seu grupo começou no dia 15 de março, mas, quando ela chegou até o posto de vacinação, foi informada de que não poderia receber a vacina.
Prefeitura de Bofete (SP) disse a idosa de 75 anos que não poderia vaciná-la com a primeira dose contra Covid
Reprodução/TV TEM
A mulher enviou uma mensagem no WhatsApp da prefeitura para entender porque não poderia ser vacinada e a administração municipal respondeu dizendo que, apesar do município estar imunizando as pessoas com 68 anos, ela não poderia receber o imunizante agora (veja acima).
A partir disso, a moradora enviou um e-mail para a ouvidoria do SUS relatando a situação e recebeu uma resposta dizendo que eles estavam verificando a situação com o Departamento Regional de Saúde (DRS) de Bauru (SP), que é responsável pelo município de Bofete. No entanto, até o momento, ela ainda não foi vacinada.
Idosos de Bofete enfrentam dificuldade para receber vacina contra a Covid
De acordo com a Diretoria de Saúde, a cidade enfrenta dificuldades para receber doses suficientes aos grupos prioritários desde o primeiro lote. A prefeitura informou que, quando uma nova remessa chega, o município procura vacinar o maior número de pessoas possíveis, mas, depois, uma lista de espera é feita.
Disse ainda que foi preciso abrir a vacinação para outras faixas etárias porque essa é uma determinação estadual, e a administração municipal precisa informar no sistema da Secretaria de Saúde do Estado quais grupos estão sendo vacinados com aquele determinado lote, que não pode ser direcionado para grupos faltantes.
A prefeitura também explicou que o pedido de novas doses já foi enviado para o Grupo de Vigilância Epidemiológica. Contudo, ainda não há previsão para a entrega dos imunizantes.
Já a Secretaria Estadual de Saúde informou que não faltam doses na cidade, pois foram enviadas vacinas suficientes para estes grupos. Disse ainda que 1,8 mil doses foram encaminhadas ao município e apenas 1,5 mil foram aplicadas, restando ainda 300 doses disponíveis.
De acordo com o estado, a quantidade de doses enviadas foi definida com base na imunização contra a gripe que havia sido feita no município no ano passado. A pasta não informou quando vai enviar mais vacinas a Bofete.
VÍDEOS: assista às notícias da região
Veja mais notícias da região no G1 Bauru e Marília

Compartilhar

Deixe uma resposta