Família reencontra cachorrinha desaparecida há três anos após postagem nas redes sociais: ‘Alegria em momento tão difícil’

Compartilhar


A família, que é de Mogi das Cruzes, chegou a mudar de cidade nesse período, mas acabou voltando para a cidade. Paloma havia fugido um mês antes da mudança. Cadela desaparecida é reencontrada por família após três anos
Uma família de Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo, conseguiu reencontrar sua cachorrinha de estimação quase três anos depois de ela ter fugido de casa. O reencontro, que parecia improvável depois de tanto tempo, aconteceu após uma publicação nas redes sociais.
O texto dizia que Paloma, que não tem raça definida, estava em um lar temporário e procurava por uma família interessada em adotá-la. A postagem, então, acabou levando o animal de volta para os antigos tutores.
Nesse período, eles chegaram a se mudar de cidade sem a cachorrinha, que havia fugido dias antes. De volta para Mogi, os donos tiveram a felicidade de reencontrar a mascote. O momento, cercado por uma corrente do bem, marcou a família.
“Em um momento tão difícil, que a gente vê tantas notícias tristes e fica com aquela energia ruim, eu tive essa felicidade que é impossível de expressar com palavras”, diz a artesã Joice Ostroski, tutora de Paloma.
Final feliz: Paloma reencontrou a antiga família
Reprodução/TV Diário
Como tudo começou
A história que ligou a família de Joice à cachorrinha começou em Apiaí, cidade que fica na região do Vale do Ribeira, a quase 400 quilômetros de Mogi das Cruzes. O marido dela conheceu Paloma enquanto trabalhava.
“Meu marido é primeiro sargento do Corpo de Bombeiros, e essa cachorrinha apareceu no quartel. Meu marido gosta muito de animais. Ela estava debilitada, fraquinha, então ele começou a comprar ração e alimentar esse animalzinho”, relembra.
“Aí ele me ligou e falou: ‘A cachorrinha logo vai entrar no cio, vai começar a procriar. Vamos levá-la para nós?’. Eu fui de carro até Apiaí, peguei a Paloma e a trouxe para Mogi. Nessa época, ele trabalhava em Apiaí, mas nós morávamos em Mogi”.
No novo lar, a vira lata logo se deu bem com a família. Sempre dócil e carinhosa, ganhou o coração de todos. Em determinado momento, a família decidiu se mudar para Sorocaba, por conta do trabalho do marido de Joice. Porém, dias antes da mudança, Paloma fugiu.
“Quando faltava um mês para a mudança, a Paloma e outra cachorrinha minha fugiram. Eu estava saindo com o carro da garagem e as duas fugiram. Uma delas voltou e estou com ela até hoje, mas a Paloma não voltou”.
Depois de nove meses em Sorocaba, a família voltou para Mogi das Cruzes, onde está novamente há dois anos.
Um reencontro para lá de improvável e muito feliz
Desenho mostra Paloma juntamente dos outros cães da família
Reprodução/TV Diário
Foi navegando pelas redes sociais que, quase três anos depois do desaparecimento da cachorrinha, Joice viu uma publicação de uma cadela abandonada, que se parecia muito com Paloma. Ela havia sido encontrada na Vila Moraes, bairro de Mogi, no meio do mato, e estava em um lar temporário.
“Olhando os animais e as postagens do grupo, eu me deparei com uma foto de uma pessoa que ofereceu lar temporário. Ela foi encontrada em uma mata fechada. A pessoa deu lar temporário e estava oferecendo para adoção”, conta Joice.
“Quando vi a foto, percebi que a cachorrinha era muito parecida com a Paloma. Chamei minha filha, perguntei se ela também achava e ela disse que se parecia muito com a Paloma”.
Para que Paloma voltasse para casa, no entanto, foi necessária a colaboração de muitas pessoas, mesmo sem elas saberem disso. Uma delas é o ajudante geral Sebastião Santana, que caminhava ou pedalava em torno de 16 quilômetros para dar comida para vários cachorros. A Paloma era um deles.
“Eu via esses cachorros abandonados. Fiquei com dó de ficarem no meio do mato, passando fome, necessidade, aí comecei a cuidar deles”.
Família de Mogi reencontra cachorrinha desaparecida há três anos após postagem nas redes sociais
Reprodução/TV Diário
Nessa corrente de ajudar os animais abandonados, também está Eliane Costa. Ela doa ração para Sebastião, tira foto dos cachorros e posta na internet para encontrar alguém que queira adotar. Foi justamente em uma postagem de Eliane que a família viu Paloma pelas redes sociais.
“Teve bastante compartilhamento. Eu divulguei em grupos de animais também. A dona viu essa publicação e entrou em contato. Eu passei meu WhatsApp para ela, e ela me mandou um vídeo e fotos da cachorra dela que tinha sumido em 2018. Então ela foi lá e constatou que era a Paloma”, falou Eliane.
Quem também ficou feliz em ver Paloma de volta para a antiga família foi a dona do lar temporário em que a cadelinha ficou, a terapeuta naturista Mariangela Frigo.
“A Paloma, se ela não tivesse encontrado o papai e a mamãe dela, ela já estaria adotada. Porque uma das meninas da página já tinha falado para mim que havia uma pessoa que ficaria com a Paloma. Aí, nesse tempo, aconteceu de a Joice achar”, comenta.
“Então quero fazer um apelo: abra sua casa, seu coração, sua garagem. Ceda um cantinho da sua casa para lar temporário. É muito simples. É só você cuidar daquele animalzinho enquanto os protetores batalham pela adoção”, disse
Foi então que, depois de ter mudado de endereço e percorrido outra cidade, o destino fez com que a família toda ficasse unida novamente, agora com Paloma e com outros cãezinhos também.
Assista a mais notícias do Alto Tietê

Compartilhar

Deixe uma resposta