Trabalhadores portuários avulsos realizam novo protesto por vacinas contra a Covid-19 em Santos, SP

Compartilhar


Categoria defende que prefeituras alterem plano municipal de imunização seguindo particularidades da região. Portuários reivindicam antecipação de vacinas contra a Covid-19 para a categoria
Carlos Nogueira/Jornal A Tribuna
Trabalhadores portuários avulsos fizeram um protesto, na manhã desta terça-feira (6), para pedir a vacinação contra a Covid-19 à categoria. O ato, o segundo nesta semana, foi realizado em frente ao Paço Municipal de Santos, no litoral de São Paulo. Na segunda (5), eles já haviam protestado em frente à Santos Port Authority, a Autoridade Portuária de Santos.
A manifestação pacífica foi organizada com o objetivo de pedir a inclusão da categoria na antecipação da vacinação contra a Covid-19 no município. Os trabalhadores se concentraram na escadaria da prefeitura às 9h, utilizando faixas e cartazes. Também fizeram uma homenagem aos portuários que morreram com coronavírus. Eles saíram do local por volta das 11h.
Segundo o portuário Sandro Olímpio da Silva, conhecido como Sandro Cabeça, mais de 40 estivadores morreram desde o início da pandemia vítimas da Covid-19, e pelo menos três estão internados. “Os trabalhadores pedem o mínimo de higiene, saúde e segurança para se manterem em atividade”, afirmou.
Portuários pedem por vacinas contra a Covid-19 no Porto de Santos, SP
Reprodução
O protesto em frente ao Paço teve como objetivo chamar a atenção do prefeito, de acordo com o portuário. “Conforme uma decisão do STF, toda região pode fazer modificações no plano de imunização, conforme a sua particularidade. Santos e Guarujá são diferenciadas, as populações dependem do Porto”, disse.
“Nada mais justo e coerente, para manter a saúde da cidade, que esses trabalhadores que têm contato direto com embarcações que vêm de diversas partes do mundo sejam vacinados, evitando que contaminem não só suas famílias, mas que também não deixem um rastro de contaminação pela cidade”, defendeu.
Portuários pedem por antecipação da vacinação contra a Covid-19
Reprodução
Prefeitura
Em nota enviada ao G1, a Prefeitura de Santos disse que a cidade segue o Plano Estadual de Imunização contra a Covid-19. Tanto o envio das doses como a determinação dos respectivos públicos-alvo a serem vacinados são responsabilidades do Governo do Estado.
Governo do Estado
O Governo de São Paulo, em nota, disse que a destinação de mais vacinas contra a Covid-19 pelo Ministério da Saúde é crucial para a continuidade da campanha e expansão dos públicos-alvo. Toda estratégia de distribuição das grades e inclusão de novos públicos segue os critérios técnicos definidos pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI ), e à medida que o Ministério viabiliza novos quantitativos.
O Governo de São Paulo, seguindo a missão de salvar vidas, tem priorizado a imunização justamente dos públicos mais vulneráveis: profissionais de saúde, indígenas, quilombolas, idosos e adultos com deficiência residentes em instituições de longa permanência, além de avançar gradativamente na imunização dos idosos em geral – que representam 77% das vítimas fatais da Covid-19.
O estado conclui afirmando tem atuado com agilidade na logística e distribuição para a rede de saúde de São Paulo sempre que recebe novas remessas de vacinas. A execução da campanha, com organização e distribuição de quantitativos na rede de saúde, bem como aplicação das doses na população, é responsabilidade dos municípios.
VÍDEOS: As notícias mais vistas do G1

Compartilhar

Deixe uma resposta