Baixada Santista registra mais de 300 ocorrências de festas e aglomerações durante medidas mais restritivas

6 de abril de 2021 0 Por
Compartilhar


Período que se estendeu de 23 de março a 4 de abril foi definido pelo Conselho de Desenvolvimento Metropolitano da Baixada Santista (Condesb) como lockdown. Mais de 300 ocorrências envolvendo aglomerações ou festas clandestinas foram atendidas; imagem mostra caso em Guarujá
Divulgação/Prefeitura de Guarujá
Mais de 300 ocorrências envolvendo aglomerações ou festas clandestinas foram atendidas pelas fiscalizações municipais, GCMs e Polícia Militar em cidades da Baixada Santista, no litoral de São Paulo, durante o período em que a região adotou medidas mais restritivas para conter a Covid-19, que se estendeu de 23 de março a 4 de abril e foi definido como ‘lockdown’ pelos municípios. As cidades divulgaram o levantamento destas ocorrências ao G1 nesta terça-feira (6).
Mongaguá informou que, durante o lockdown, o Departamento de Fiscalização do Comércio e a Guarda Civil Municipal realizaram diversas operações para o combate à Covid-19. Durante esse período, cerca de 20 eventos foram interrompidos. Além disso, 70 pessoas sem máscaras foram notificadas, sendo duas delas multadas.
Em março, na cidade de Itanhaém, foram realizadas 514 inspeções e 59 autuações em ações de combate ao novo coronavírus. A prefeitura não especificou quantas destas ocorrências foram de festas clandestinas ou aglomerações.
Guarujá atendeu, durante o lockdown, aproximadamente 168 ocorrências de perturbação ao sossego
Divulgação/Prefeitura de Guarujá
A Prefeitura de Guarujá divulgou que a Diretoria de Força-Tarefa atendeu, durante o lockdown, aproximadamente 168 ocorrências de perturbação ao sossego, que incluem aglomerações e festas clandestinas. Nesse período, foram apreendidos equipamentos de som e lavradas 14 multas, em um total aproximado de R$ 43 mil. Entre as ocorrências, guardas municipais encerraram uma aglomeração com mais de 60 pessoas na Praia do Éden, que está com acesso proibido desde 15 de março.
Guardas encerraram aglomeração com mais de 60 pessoas em praia de Guarujá, SP
Divulgação/Prefeitura de Guarujá
A Prefeitura de São Vicente, por meio da Secretaria de Saúde (Sesau), informou que, no primeiro momento, o foco das fiscalizações da Vigilância Sanitária é sempre a orientação. Segundo o município, só houve registro de fiscalizações e autuações de estabelecimentos durante o período de medidas mais restritivas.
Em Cubatão, foram feitas mais de 100 orientações a pessoas que aglomeravam em praças, campos de futebol e quadras de esportes. A força-tarefa formada por servidores municipais do setor de Fiscalização do Comércio, Vigilância Sanitária, Secretaria de Obras e de Segurança Pública, além de bombeiros e policiais militares (Operação Delegada), percorreu diversos bairros do município desde 23 de março.
Bertioga também registrou ocorrências durante lockdown
Divulgação/Prefeitura de Bertioga
A Coordenadoria de Fiscalização Covid-19 de Bertioga informou que, no período de lockdown, uma festa foi impedida pela fiscalização no bairro Boraceia. A Guarda Municipal informa que, entre os dias 23 de março e 4 de abril, foram atendidas 21 denúncias envolvendo aglomerações. Não houve aplicação de multas.
De acordo com o Departamento Municipal de Posturas de Peruíbe, diferentemente dos primeiros dias da fase emergencial, durante o lockdown, não houve registro específico de festas e aglomerações no município.
Em Santos, um bingo clandestino foi fechado durante uma operação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e da Polícia Militar. O local abrigava 21 pessoas, sendo uma delas funcionária do bingo. No local, foram apreendidas 60 máquinas caça-níqueis, 21 em funcionamento. Além disso, foram apreendidos R$ 2.169 em dinheiro.
Foram apreendidas 60 máquinas caça-níqueis em bingo clandestino fechado em Santos
Divulgação/Polícia Militar
VÍDEOS: G1 em 1 Minuto Santos

Compartilhar