Alto Tietê ultrapassa marca de 3 mil mortes pela Covid-19

6 de abril de 2021 0 Por
Compartilhar


Ao todo, a região contabiliza 3.030 mortes pelo novo coronavírus. Foram apenas 70 dias para contabilizar as últimas mil vítimas. Reprodução em 3D do modelo do novo coronavírus (Sars-CoV-2) criada pela Visual Science.
Reprodução/Visual Science
Nesta terça-feira (6) o Alto Tietê ultrapassou os 3 mil mortos pela Covid-19. A região levou exatos 378 dias, desde o primeiro óbito peça doença, para atingir o triste marco.
Foram mais 31 notificações em 24 horas, segundo dados enviados pelas prefeituras a pedido do G1. No acumulado, 3.030 moradores da região perderam a vida por consequência do novo coronavírus.
MÉDIA MÓVEL: veja em que estados as mortes estão subindo, em estabilidade ou em queda
O avanço da doença chama a atenção. Entre a primeira e a milésima notificação de morte, em 4 de agosto, foram 133 dias. Depois de 175 dias, o número dobrou e o Alto Tietê atingiu 2 mil óbitos.
De 26 janeiro até então, as 10 cidades precisaram de apenas 70 dias para registrar mais mil mortes. Nas últimas semanas, a região levou entre 3 e 4 dias para atingir cerca de 100 vítimas.
Variante de Manaus
No dia em que atinge o 3 mil mortes, a região também confirma seu primeiro caso de Covid-19 provocado pela variante brasileira P.1., identificada em Manaus. O paciente é de Poá, tem 39 anos e não precisou se internar.
As últimas notificações foram nas cidades de Suzano, com 9 óbitos, Mogi das Cruzes, com 8 e Itaquaquecetuba, com 6. Em Poá e Santa Isabel foram 3 vítimas, enquanto Arujá notificou 2.
Em 24 horas, também foram confirmados mais 433 casos do coronavírus e 598 pacientes curados. Desde o início da pandemia, 73.960 pessoas testaram positivo, enquanto 54.164 se recuperaram.
O total de notificações chegou a 267.378 nas 10 cidades, sendo que 16.575 pacientes ainda aguardam pelos resultados de exames.
Média móvel
Após dias de aumento, as médias móveis de mortes e novos casos da Covid-19 voltaram a apresentar estabilidade.
Entre os óbitos, o índice passou de 24 há duas semanas para 26. Nos casos, o número passou de 417 para 465 nesta terça.
A evolução da pandemia no Brasil

Compartilhar