Isolamento social não mudou e ficou abaixo dos 45% nos feriados antecipados na cidade de SP

3 de abril de 2021 0 Por
Compartilhar


Objetivo da antecipação de 5 feriados – Corpus Christi 2021 e 2022, Consciência Negra 2021 e 2022, e Aniversário de São Paulo, era aumentar o isolamento social e conter o avanço da pandemia da Covid-19. Passageiros em trem na estação Brás da CPTM na sexta-feira (26), primeiro dia da sequência de feriados antecipados na cidade de São Paulo
Roberto Costa/Código 19/Estadão Conteúdo
O índice de isolamento social não mudou e se manteve abaixo dos 45% na semana dos feriados antecipados na cidade de São Paulo. A medida começou na sexta-feira (26) e terminou na quinta-feira (1) seguinte.
Os dados divulgados na sexta-feira (2) são do Sistema de Monitoramento Inteligente do governo estadual, que atualiza diariamente o índice de adesão ao isolamento em São Paulo.
Na sexta-feira (19) e na sexta-feira (26), primeiro feriado, a adesão foi idêntica, de 42%.
No sábado (20) e no domingo (21), o isolamento havia sido de 46% e 51%, respectivamente; taxa muito similar ao fim de semana em que a sequência de feriados já estava em vigor: 45% no sábado (27) e 50% no domingo (28).
Entre segunda e quinta, com os feriados de Corpus Christi 2022, Consciência Negra 2021 e 2022 e Aniversário de São Paulo 2022 antecipados, a adesão ao isolamento aumentou entre 1 e 2 pontos percentuais em relação a semana anterior, sem feriados, e se manteve abaixo dos 45%.
Na segunda-feira (22), adesão de 42%; na segunda (29), 44%. Na terça-feira (23), 43%; na terça (30), 44%. Na quarta-feira (24), 42%; na quarta (31), 43%. Na quinta-feira (25), 42%; na quinta (1°), 43%.
Movimentação no Parque Ibirapuera neste domingo (28), durante a antecipação de feriados para aumentar isolamento social na cidade de São Paulo
Renato S. Cerqueira/Futura Press/Estadão Conteúdo
O objetivo da antecipação de 5 feriados era aumentar o isolamento social e conter o avanço de casos de Covid-19 na cidade – a capital está com 88% dos leitos de UTI lotados e com 85% dos leitos de enfermaria ocupados; vans escolares vão atuar no transporte de corpos devido a alta demanda sobre o Serviço Funerário do município.
Na última semana, uma força-tarefa entre o governo do estado e a Prefeitura de São Paulo dispersou centenas de aglomerações na capital paulista, incluindo uma festa com som alto ao lado de uma Unidade de Pronto-Atendimento em Itaquera, na zona Leste.
As ciclovias e a região do Parque Ibirapuera e da Praça Roosevelt também receberam pessoas sem máscaras, e o litoral do estado também foi impactado, com filas nas rodovias que dão acesso às praias.
A falta de engajamento também desrespeita a fase emergencial, que está em vigor em todo o estado desde o dia 15 de março, com regras mais rígidas do que a fase vermelha da quarentena.
No ano passado, o governo municipal também antecipou os feriados de Corpus Christi e da Consciência Negra, e, da mesma forma, a taxa não alcançou os 60% em nenhum dos dias de feriado.
Isolamento social não aumenta durante antecipação dos feriados em SP
Grande SP
Na Grande São Paulo, das 39 cidades, 11 ainda estão com índices de isolamento abaixo de 40%: Caieiras, Cajamar, Osasco, Barueri, Jandira, Itapevi, Guarulhos, Arujá, Itaquequecetuba, Poá e Suzano. Na capital, a taxa de isolamento é de 43%, muito abaixo do que esperavam as autoridades.
Em Osasco, uma das 21 cidades da Grande São Paulo que adotaram medidas mais restritivas, o comércio, os serviços e as indústrias fecharam por 5 dias. Mesmo com 90% dos leitos de UTI ocupados, o prefeito Rogério Lins pretende reabrir a cidade.
“As atividades essenciais voltam ao funcionamento normal, e, assim que nós percebermos melhoras nos indicadores de infecção, óbitos e internações, nós vamos flexibilizar para outras atividades essenciais”, disse ele.
Em Mauá, dois estabelecimentos foram fechados pelo mesmo motivo: pessoas aglomeradas em espaço confinado, sem uso de máscaras e sem distanciamento, contrariando as diretrizes sanitárias.
Em um bar de sinuca havia 40 pessoas, e, em uma padaria, outras 30 pessoas. Os dois locais estavam abertos fora do horário permitido. Na padaria, os fiscais dizem que não havia condições mínimas de higiene e todos fumavam dentro do local. O dono fugiu para não assinar a autuação.
Segundo o consórcio das prefeituras do ABC, o índice de ocupação das UTIs na região ainda está acima dos 92%.
“No dia 25 de janeiro desse ano, a taxa de ocupação do ABC era de 60%. Hoje, a nossa taxa média está em 92%, 93%, muito longe de ter qualquer tipo de tranquilidade com relação a ocupação de leitos”, disse Paulo Serra, prefeito de Santo André e presidente do consórcio ABC.

Compartilhar