Três pessoas morrem na UPA de Registro, SP, à espera de vagas para UTI

2 de abril de 2021 0 Por
Compartilhar


Vale do Ribeira está com 100% de ocupação nos leitos de enfermaria e UTI adulto na rede pública. Três pessoas morreram na UPA de Registro, SP, à espera de transferência para leitos de UTI
Reprodução/TV Tribuna
Três pessoas morreram à espera de vagas de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em Registro, no interior paulista. De acordo com informações apuradas pelo G1 nesta quinta-feira (1º), elas foram diagnosticadas com Covid-19 e estavam internadas na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) enquanto aguardavam transferência.
A região do Vale do Ribeira está com 100% de ocupação nos leitos de enfermaria e UTI adulto na rede pública, segundo dados atualizados do Departamento Regional de Saúde. De acordo com a prefeitura, as vítimas aguardavam para serem transferidas a hospitais referência, mas as vagas não saíram a tempo, e as três pessoas acabaram morrendo nesta quarta-feira (31).
Em entrevista à TV Tribuna, afiliada da Rede Globo, o promotor de Justiça Daniel Porto Godinho da Silva informou que o Ministério Público de São Paulo, recentemente, pediu ao estado a aceleração da abertura de novos leitos. “Recentemente, o Hospital João possuía um entrave burocrático para fins de renovação de convênios, recebimento de verbas, o que impedia o aumento de leitos naquela unidade. Isso foi solucionado em uma ação judicial recente”, afirmou.
Três pessoas morreram aguardando leitos de UTI em Registro
De acordo com o promotor, há uma decisão judicial que autoriza, e até mesmo obriga as renovações dos convênios, e o consequente aumento dos leitos. “Há, também, a expectativa de um aumento breve de leitos no Hospital Regional de Registro. Nós temos tratado com o DRS nesse sentido, o que também auxiliará no atendimento da população da região”, disse.
O prefeito de Registro, Nilton Hirota, lamentou as mortes. “Eram pessoas que estavam aqui há cinco, sete e nove dias. Então imagina, você ficar 160 horas aguardando leitos, e isso não acontecer”, destacou.
VÍDEOS: G1 em 1 Minuto Santos

Compartilhar