Feriado de Páscoa: Veja o que abre e fecha na cidade de São Paulo

2 de abril de 2021 0 Por
Compartilhar


Neste ano há restrições em andamento, como o toque de recolher das 20h às 5h em todo o estado, e o fechamento temporário de cinemas, teatros, shoppings e parques. Ovos de páscoa expostos em supermercado na cidade de São Paulo.
ANDRé PERA/PERA PHOTO PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
O feriado de Páscoa, que começa nesta sexta-feira (2) e termina no domingo (4), foi incluído neste ano de 2021 na estratégia da cidade de São Paulo para conter o avanço da Covid-19.
Como nos anos anteriores, não há atendimento presencial nas agências bancárias, nas unidades do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-SP), do Poupatempo e do Procon.
Mas neste ano há restrições em andamento, como o toque de recolher das 20h às 5h em todo o estado, e o fechamento temporário de serviços não essenciais como cinemas, teatros, shoppings e parques.
As medidas fazem parte da fase emergencial da quarentena contra o coronavírus, em vigor desde o dia 15 de março.
Os três dias da Páscoa completam a sequência de 10 dias de pausa prolongada, determinada pela Prefeitura de São Paulo, que antecipou outros 5 feriados de 2021 e 2022 para alcançar maior isolamento social.
Veja abaixo o que abre e o que fecha durante o feriado de Páscoa 2021 na capital:
VÍDEO: ‘Uma boa parcela das pessoas entendeu que esse feriado é uma quarentena’, diz João Octaviano, secretário de Logística e Transportes de SP
Transportes
O novo esquema de rodízio anunciado pela Prefeitura de São Paulo estará em vigor durante todo o feriado, inclusive no sábado (3) – ele acontece das 20h às 5h, e não nos horários tradicionais – das 7h às 10h, e das 17h às 20h.
A liberação dos veículos durante o dia visa reduzir a aglomeração no transporte público, e a proibição noturna pretende impedir a circulação após o expediente, acompanhando o toque de recolher.
O descumprimento da regra implica em infração de trânsito de nível médio, com multa no valor de R$ 130,16 e 4 pontos na carteira do motorista.
Bancos
As agências bancárias fecham e as instituições financeiras orientam ao uso dos canais digitais para as operações, como caixas eletrônicos e Internet Banking.
As contas de consumo de água, luz, telefone e TV a cabo, assim como os carnês que vencerem durante o feriado poderão ser pagos na segunda-feira (5).
Igrejas
Celebrações religiosas, como missas e cultos, estão temporariamente suspensas até o dia 11 de abril.
As igrejas, contudo, podem permanecer abertas para receber individualmente os fiéis e doações.
Celebrações de Páscoa são adiadas em São Paulo
Parques e esportes
Está proibido o uso de parques em todo o estado para evitar aglomerações.
Atividades coletivas esportivas, inclusive campeonatos profissionais, também estão suspensos.
Alimentação
Supermercados, hipermercados, açougues, lojas de suplemento e feiras livres podem funcionar durante a fase emergencial, inclusive na Páscoa.
Padarias podem funcionar 24 horas, com proibição de consumo de produtos no local e de manipulação de alimentos; entregas por delivery ou drive-thru estão liberadas.
Delivery e drive-thru também estão liberadox para bares, lanchonetes e restaurantes; está proibida a retirada de produtos no local.
Lojas
Comércios não essenciais, como lojas de roupas e restaurantes, não podem operar com serviço de retirada presencial, apenas delivery (24 horas) ou drive-thru (das 5h às 20h).
Serviços estaduais e federais
Detran: As seis unidades do Detran na capital, localizadas nos postos do Poupatempo, permanecem fechadas para atendimentos presenciais enquanto durar a fase emergencial do Plano São Paulo. O órgão ampliou a quantidade de serviços digitais disponíveis em 70%.
Poupatempo: Os 82 postos do Poupatempo em todo o estado permanecem fechados na fase emergencial do Plano São Paulo.
Justiça Federal em SP: não há expediente nos fóruns federais da Seção Judiciária de São Paulo. Os prazos dos processos estão suspensos, bem como o atendimento presencial desde o dia 6 de março, com exceção de medidas de urgência.
Litoral
O governo de São Paulo desestimula viagens ao litoral durante a fase emergencial do Plano São Paulo, que termina no dia 11 de abril.
A operação descida do Sistema Anchieta-Imigrantes, que ocorre normalmente aos finais de semana, está suspensa desde o dia 19 de março. É a primeira vez em 23 anos de concessão que a medida é tomada.
Além da fase emergencial, a Baixada Santista vive um lockdown para controlar a pandemia de Covid-19 desde o dia 23 de março. A determinação vale até domingo e aqueles que não a respeitarem podem pagar multa.
Na região, não estão permitidos:
Acesso às praias e calçadões;
Feiras livres;
Obras civis públicas e particulares não essenciais;
Hotéis, pensões, pousadas e motéis;
Comercialização de imóveis de temporada;
Serviços de drive-thru.
Fase emergencial até 11 de abril
O governo de São Paulo prorrogou a fase emergencial em todo o estado, em vigor desde 15 de março, até o dia 11 de abril, devido ao aumento do número de casos de Covid-19 e do colapso no sistema de saúde.
A medida prevê regras mais rígidas do que a fase vermelha da quarentena, como as suspensão das celebrações religiosas e esportivas, o uso de praias e de parques.
Alguns setores e serviços também foram proibidos de operar, como lojas de materiais de construção e a retirada presencial de mercadorias e alimentos nas lojas.
Para as empresas foi indicado o home office e o escalonamento do início do expediente para diminuir aglomerações no transporte público.
Na educação, embora seja considerada serviço essencial, é permitido o funcionamento com 35% da capacidade das escolas e a recomendação para que se priorize o ensino remoto.
Vídeos: Tudo sobre São Paulo e região Metropolitana

Compartilhar