Ribeirão Preto registra 279 novos casos de Covid, 15 mortes e tem novo recorde nas UTIs

1 de abril de 2021 0 Por
Compartilhar


Nesta quinta-feira (1º), número de internados chegou a 281, o maior desde o início da série. Em 2021, casos positivos da doença somam 20.731 e o total de mortes chega a 500. Equipes trabalham em hospital para tratar pacientes com Covid-19 em Ribeirão Preto, SP
Reprodução/EPTV
Ribeirão Preto (SP) registrou 279 novos casos de Covid-19 e 15 mortes em boletim divulgado nesta quinta-feira (1º) pela Secretaria Municipal de Saúde. A cidade entrou novamente em alerta para o risco de colapso nos hospitais.
Com a atualização dos dados, o total de infectados desde o início da pandemia subiu para 62.630 e o de óbitos foi para 1.543.
Os óbitos foram registrados entre os dias 22 e 30 de março, dos quais cinco em ambiente fora de hospitais. São cinco mulheres e 10 homens, com idade entre 40 e 88 anos. A secretaria investiga se quatro pacientes tinham doenças crônicas anteriores.
Balanço da epidemia
Total de casos: 62.630
Casos confirmados em 2021: 20.731
Total de mortes: 1.543
Mortes registradas em 2021: 500
Total de suspeitas descartadas: 75.748
Suspeitas descartadas em 2021: 21.924
Situação nos hospitais
Mais uma vez à beira do esgotamento total de leitos de unidade de terapia intensiva (UTI), Ribeirão Preto registrou novo recorde de pacientes em estado grave internados, o maior da série histórica.
A cidade tem hoje 281 pacientes internados em 289 vagas – ocupação que chega a 97,2%.
Durante coletiva de imprensa, o prefeito Duarte Nogueira (PSDB) disse que não há condições de abrir novos leitos nos hospitais.
“Estamos limitados nos equipamentos de respiradores e também no limite de profissionais de saúde. Estamos com praticamente 50 leitos a mais disponíveis tanto do setor privado, público e filantrópico do que tínhamos na crise de julho do ano passado, então todo o conjunto de estratégias no limite estamos utilizando, mas estamos em uma posição muito crítica”, disse.
Nas enfermarias, a taxa de ocupação também segue alta chegando a 86%, com 260 pessoas em tratamento nas 302 vagas disponíveis.
A incidência de casos graves, que mobilizam essas hospitalizações, ainda segue em alta na cidade, mesmo após a adoção de um confinamento no final de março.
Segundo o secretário municipal de Saúde Sandro Scarpelini, os leitos ainda podem estar comprometidos com pacientes que se infectaram e tiveram agravamento do quadro clínico antes ou durante as medidas mais rígidas em Ribeirão Preto.
“Podemos imaginar que essas pessoas se contaminaram antes e agora nesse espaço de tempo começam a piorar, ainda mantendo os leitos de CTI em níveis altos de ocupação”, explicou.
Veja mais notícias da região no G1 Ribeirão Preto e Franca
VÍDEOS: Tudo sobre Ribeirão Preto e região
h

Compartilhar