Prefeitura fecha acesso à lagoa de Bauru para conter aglomerações e afogamentos

1 de abril de 2021 0 Por
Compartilhar


Local conhecido como lagoa da Quinta da Bela Olinda registra grande fluxo de banhistas aos finais de semana; morte mais recente aconteceu no último domingo (28). Uma barreira de terra foi erguida no acesso à região do entorno da lagoa da Quinta da Bela Olinda
Prefeitura de Bauru/Divulgação
A Prefeitura de Bauru (SP) anunciou nesta quinta-feira (1º), véspera do feriado de Páscoa, que instalou uma barreira de contenção nos acessos à lagoa da Quinta da Bela Olinda, local que recebe um grande número de banhistas aos finais de semana.
A principal justificativa da prefeitura é coibir as aglomerações de pessoas, situação considerada danosa por conta da pandemia e do alto risco de disseminação do coronavírus.
Confira os números da pandemia de Covid-19 no centro-oeste paulista
Além das aglomerações no local, a prefeitura destaca que a lagoa possui um alto risco de afogamento, com dezenas de mortes registradas nos últimos anos. A mais recente delas aconteceu no último domingo (28), quando um homem de 56 anos morreu afogado no local.
Banhistas na lagoa da Quinta da Bela Olinda: local considerado pela Defesa Civil como de alto risco para afogamentos
Reprodução/TV TEM
Por conta disso, segundo a prefeitura, a lagoa da Quinta da Bela Olinda é considerada um local de alto risco pela Defesa Civil de Bauru.
A prefeitura reforça o pedido à população para que não frequente o entorno da lagoa e que também evite qualquer tipo de aglomeração em áreas públicas ou particulares durante a pandemia. Denúncias de descumprimento das regras de prevenção à Covid-19 podem ser feitas através do site da prefeitura.
Veja mais notícias da região no G1 Bauru e Marília
Confira mais notícias do centro-oeste paulista:

Compartilhar