Mulher diagnosticada com Covid-19 e chikungunya desabafa após ver toda a família doente: ‘Perturbador’

Compartilhar


Danyela de Menezes Souza, de São Vicente, no litoral paulista, relata as dificuldades ao ter os sintomas e ver todos os membros da família infectados por uma das duas doenças ou pela dengue. Danyela relata as dificuldades ao enfrentar duas doenças e ver familiares infectados
Arquivo Pessoal
Uma moradora de São Vicente, no litoral de São Paulo, desabafou após ser infectada pela Covid-19 e, em seguida, pela chikungunya. A técnica em análises clínicas Danyela de Menezes Souza, de 36 anos, relata as dificuldades ao enfrentar os sintomas e ver todos os membros da família serem infectados por uma das duas doenças, além da dengue.
“Perturbador e exaustivo. Se não fosse Deus, já tinha entrado em pânico”, descreveu em entrevista ao G1 nesta quinta-feira (1º).
Danyela fez o relato ao denunciar uma creche próxima à casa onde mora, no bairro Parque Continental. Ela acredita que o lugar possa ser foco do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika. Além dela e dos familiares, vizinhos também foram infectados.
Família da técnica foi infectada por Covid-19, dengue e chikungunya
Arquivo Pessoal
A técnica explica que os primeiros sintomas da Covid-19 começaram no dia 24 de fevereiro. Ela testou positivo no início de março, mas se recuperou bem. Já o esposo dela precisou ser internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para tratamento. Ainda em março, ela começou a ter febre, dores nas articulações, vômitos, enjoo, fraqueza e dores de cabeça constantes.
Diagnosticada com chikungunya, ela vai começar o tratamento nesta semana. Além do desgaste físico, ela relata o medo que sentiu ao ver os familiares adoecendo. O marido contraiu a Covid-19, assim como os dois filhos adolescentes, que ainda tiveram dengue. A caçula, de apenas 2 anos, também foi diagnosticada com dengue. Os pais da técnica não conseguiram fazer o exame, mas tiveram sintomas.
“Como ter paz no seu próprio lar? Fazemos nossa parte, e o município não se responsabiliza pela segurança dos moradores, mas sim ao contrário, põe negligentemente nossas vidas em risco. Estamos em pânico”, relata a técnica em relação ao medo com os mosquitos transmissores de doenças.
Técnica está fazendo tratamento para chikungunya
Arquivo Pessoal
Danyela postou um desabafo nas redes sociais, e vizinhos comentaram que também foram infectados. Eles denunciam uma creche próxima, e alegam que ela estaria com focos do mosquito Aedes aegypti.
Em meio à pandemia, com o aumento de casos e internações, ela relata dificuldades para o tratamento. Além disso, os gastos com exames fizeram com que parte da família não conseguisse fazer determinados testes, como a caçula, que não teve a confirmação se contraiu Covid-19.
Apesar do susto com os familiares, todos estão bem, e o esposo já venceu a Covid-19, após um período internado. “Da última vez em que estive no médico por causa da chikungunya, ele disse que não tinha o que fazer, pois o hospital estava tomando pela Covid. Disse para eu tomar os remédios receitados e fazer repouso. Tudo está em colapso”, finaliza.
Moradores reclamam de creche e alegam que local é foco de mosquitos
Arquivo Pessoal
Prefeitura
O G1 questionou a Prefeitura de São Vicente sobre a denúncia da moradora. Confira a nota na íntegra:
“A Prefeitura de São Vicente, por meio da Secretaria de Saúde [Sesau], informa que, para munícipes que queiram realizar denúncias, o Departamento de Controle de Doenças Vetoriais [Decodove] disponibiliza o número 0800-07710037. O atendimento funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. É importante que o denunciante forneça os dados sobre o local onde se encontra a irregularidade, facilitando o trabalho dos agentes.

A Sesau destaca que, recentemente, o Parque Continental recebeu um ‘fumacê’ de combate à dengue, que percorreu cerca de 63 quarteirões do bairro. Também houve um mutirão, onde 1.006 imóveis foram visitados.

A cidade registra 581 casos de dengue [com duas mortes] e 152 casos de chikungunya confirmados [sem registro de óbitos]. Em 2020, até o fim de março, foram 50 casos de dengue e um de chikungunya confirmados”.
VÍDEOS: G1 em 1 Minuto Santos

Compartilhar

Deixe uma resposta