Mogi Guaçu tem ruas vazias, mas fila em agência no primeiro dia de restrição na circulação

2 de março de 2021 0 Por
Compartilhar


Apesar da maioria dos comércios cumprir as regras, alguns estabelecimentos desrespeitaram. Medidas foram flexibilizadas na véspera; veja o que pode funcionar. Mogi Guaçu inicia medidas mais restritivas de circulação para conter a pandemia
Na primeira manhã de restrição na circulação dos moradores, Mogi Guaçu (SP) teve ruas vazias, mas filas de moradores para saque de aposentadoria nesta terça-feira (2). A medida, definida como um “lockdown” pela administração, tem como objetivo tentar reduzir os indicadores da Covid-19.
Os moradores que formaram a fila registrada em uma agência bancária pela reportagem da EPTV, afiliada da TV Globo, cumpriram o distanciamento social e houve uso de máscara.
A circulação de pessoas na região central foi pequena durante a manhã, segundo a reportagem, que acompanha o primeiro dia desde as 6h. De modo geral, comerciantes do Centro cumpriram as regras.
Apesar da adesão da maioria dos comerciantes, a reportagem encontrou locais com as portas abertas em alguns bairros. O movimento nas plataformas de ônibus também foi menor.
Mudança nas regras na véspera
O decreto original, divulgado na sexta-feira (26), restringia até que mercados recebessem clientes. No entanto, na segunda-feira (1), a prefeitura recuou e flexibilizou parte das regras. Com isso, restaurantes e lanchonetes, que não poderiam funcionar, puderam abrir para entrega. As medidas valem por uma semana.
Plataforma de ônibus em Mogi Guaçu no primeiro dia de restrição na circulação por conta da Covid-19
Reprodução/EPTV
A cidade registra desde o início da pandemia 8.229 casos positivos, incluindo 175 mortes. Na segunda-feira (1), a Santa Casa tinha ocupação de 110% de ocupação nos leitos de UTI.
Além disso, segundo a Secretaria de Saúde, dois pacientes com Covid-19 que precisam da estrutura aguardavam por vagas. Os dados indicam que há 14 pessoas internadas na UTI adulta e mais nove na UTI para Covid-19.
Praça de Mogi Guaçu tem pouco movimento na primeira manhã de restrição na circulação por conta da Covid-19
Reprodução/EPTV
As regras
Supermercados, mercados, açougues, padarias e hortifrútis podem funcionar das 6h às 19h, com limite de público em 40% e liberação de uma pessoa por família. Menores de 12 anos não podem entrar, enquanto pessoas com deficiência têm direito a um acompanhante;
Restaurantes, lanchonetes e pizzarias podem trabalhar com entrega a domicílio duas vezes ao dia: no período de almoço, das 11h às 14h; e no de jantar, das 19h às 22h;
Funcionam normalmente: hospitais, postos de saúde, clínicas médicas de todas as especialidades (incluindo fisioterapia e odontologia), clínicas veterinárias, laboratórios, farmácias, agências bancárias, lotéricas, agências do INSS, agências dos correios, cartórios, postos de gasolina, atendimento domiciliar na área de saúde (incluindo cuidadores de idosos), atividade agrícola e de escoamento, de segurança privada e de transporte individual de passageiros (taxistas e motoristas de aplicativos).
Agência do Poupatempo: até 30% da capacidade de atendimento.
Transporte público: até 30% da lotação máxima dos veículos.
Oficinas mecânicas: portas fechadas e atendimento exclusivo a emergências.
Indústrias: funcionamento permitido somente caso a paralisação implique em danos de maquinário, equipamentos ou insumos perecíveis.
Hotéis: limitados a 40% da ocupação máxima.
Escolas e atividades religiosas: somente com transmissão online, não presencial.
Funcionam com entrega a domicílio: agropecuárias e fornecimento de gás.

VÍDEOS: Tudo sobre Campinas e região
Veja mais notícias da região no G1 Campinas.

Compartilhar