BCN 

Prefeitura estuda barrar que inscritos de Araraquara façam 2ª fase da Unesp em Ribeirão Preto

Compartilhar


Segundo secretário, transferência feita pela Vunesp contraria confinamento na cidade vizinha para reduzir transmissão do coronavírus. Cerca de 1,5 mil estudantes fazem prova neste domingo (28). O prefeito de Ribeirão Preto, Duarte Nogueira (PSDB), durante coletiva nesta segunda-feira (22)
Reprodução/Facebook
A Prefeitura de Ribeirão Preto (SP) estuda barrar a aplicação, neste domingo (28), da 2ª fase do vestibular da Unesp na cidade aos estudantes que moram na região de Araraquara.
Na sexta-feira (19), a Fundação Vunesp, responsável pelo exame, anunciou a transferência de 1.582 inscritos para locais de prova em Ribeirão Preto. A mudança ocorre “em função da situação excepcional decorrente da Covid-19 em Araraquara, o que impossibilita a aplicação de prova no município”.
Por causa da identificação de casos da variante brasileira, da alta nos casos de Covid-19 e do colapso nos hospitais, Araraquara adotou medidas rígidas que impedem a circulação de pessoas na tentativa de reduzir a transmissão do vírus.
Durante coletiva de imprensa nesta segunda-feira (22), o prefeito de Ribeirão Preto, Duarte Nogueira (PSDB), informou que medidas estão sendo analisadas com o Ministério Público (MP) para evitar a realização da prova, pelo menos neste momento.
Segundo Nogueira, a intenção não é prejudicar os estudantes, mas garantir a segurança sanitária da população, já que a variante brasileira é mais transmissível.
“Tudo o que nós pudermos fazer para que essa operação de vestibular não seja feita em Ribeirão Preto, da forma como ela está colocada, nós iremos fazer.”
O G1 aguarda um posicionamento da Vunesp sobre o assunto.
Rua do Centro de Araraquara na manhã desta segunda-feira (22)
Nilson Porcel/EPTV
Transferência contraria medidas
A medida afeta 700 inscritos de Araraquara e 882 de outras cidades da região. Eles só souberam da mudança ao consultar os locais de prova, que foram divulgados na quarta-feira (17).
De acordo com o secretário de Governo, Antônio Daas Abboud, a realização do vestibular acarreta um fluxo migratório que contraria as medidas adotadas pela Prefeitura de Araraquara para conter o avanço da doença.
“A ideia do lockdown é para que a doença não se espalhe dentro daquele perímetro que foi considerado em lockdown. Ao transferir o exame para Ribeirão Preto, além de não se ter o efeito desejado, ou seja, os estudantes irão fazer a prova, os pais dos estudantes irão levá-los à prova, todos eles se encontrarão em algum momento. Quer dizer que o lockdown para essa população de Araraquara não existirá.”
A Secretaria Municipal de Saúde informou que sete pacientes de Araraquara estão internados em leitos de UTI em Ribeirão Preto.
Motoristas de app
Ainda durante a coletiva de imprensa, Duarte Nogueira disse que a Empresa de Trânsito e Transporte Urbano (Transerp) enviou, nesta segunda-feira, um ofício às plataformas que operam transporte de passageiros.
Segundo o prefeito, motoristas de Araraquara trabalharam no fim de semana em Ribeirão Preto por causa do decreto que estabeleceu o confinamento na cidade vizinha.
“Notamos que alguns operadores de aplicativo que perderam o trabalho em Araraquara começaram a migrar para outras cidades. Esse tipo de coisa não vamos permitir. A Transerp já oficiou as operadoras de apps para evitar esse tipo de atividade, para que as plataformas não deixem que o sistema de Araraquara possa operar em qualquer cidade senão Araraquara por uma questão de segurança sanitária regional.”
Veja mais notícias da região no G1 Ribeirão Preto e Franca
VÍDEOS: Tudo sobre Ribeirão Preto, Franca e região

Compartilhar

You May Also Like

Deixe uma resposta