BCN 

Cabeça d’água atinge cachoeiras e deixa três desaparecidos no litoral de SP

Compartilhar


De acordo com os bombeiros, um casal acabou sendo levado pela correnteza em Bertioga. Já em Praia Grande, um jovem desapareceu na Cachoeira do Melvi. Cachoeira do Melvi, em Praia Grande, foi atingida por cabeça d’água
Reprodução
Três pessoas desapareceram em Praia Grande e Bertioga, no litoral de São Paulo, após cachoeiras da região serem atingidas por uma cabeça d’água. O fenômeno natural aconteceu no domingo (21), após fortes chuvas atingirem a Baixada Santista. Um casal também sumiu em um rio de Cubatão, que foi acometido pelo mesmo fenômeno.
De acordo com o Corpo de Bombeiros, equipes de Bertioga foram acionadas, por volta das 15h45, para resgatar um casal de turistas, moradores de São Paulo. Eles estavam atravessando a Cachoeira Véu da Noiva, localizada próximo à uma trilha do elefante, às margens da rodovia Mogi-Bertioga. A cabeça d’água atingiu o local e eles acabaram sendo levados pela correnteza.
Os dois estavam acompanhados de um grupo, que conseguiu voltar para a rodovia e acionar os bombeiros. As autoridades seguiram para o local, onde realizaram buscas até às 18h30. Como anoiteceu, as buscas tiveram que ser interrompidas. A procura pelo casal foi retomada às 6h30 desta segunda-feira, com equipes de bombeiros de Bertioga, Guarujá e de Cubatão.
Grande volume de água atingiu a Cachoeira do Melvi, em Praia Grande, SP
Reprodução
Ainda durante a tarde de domingo, um jovem de 23 anos também desapareceu na Cachoeira do Melvi, no Jardim Guaraiuva, em Praia Grande. Ela estava com outras três pessoas. O grupo foi surpreendido por um grande volume de água que desceu pela cabeceira do rio. Três pessoas conseguiram se salvar, mas o rapaz continua desaparecido.
Equipes da Guarda Civil Municipal e dos bombeiros foram até o local, mas devido ao volume de água, não conseguiram iniciar as buscas. Os bombeiros iniciaram os trabalhos, a procura do rapaz, na manhã desta segunda-feira.
Cubatão
Além das ocorrências em Praia Grande e Bertioga, uma mulher desapareceu ao tentar salvar o marido se afogava no Rio Perequê, em Cubatão (SP), após a formação da cabeça d’água. Outras 16 pessoas ficaram ilhadas. O grupo era acompanhado por um monitor do Parque Ecológico Perequê.
Por volta das 15h20, os bombeiros foram acionados e se dirigiram ao local. Além da corporação, o helicóptero Águia, da Polícia Militar, também foi utilizado para resgatar parte das vítimas.
Segundo apurado pela reportagem, a cabeça d’água se formou durante a tarde, após as fortes chuvas que atingiram a Baixada Santista. De acordo com a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil, até às 20h deste domingo, a cidade havia acumulado 65,8 milímetros de chuva.
Casal costumava frequentar local em Cubatão, SP
Arquivo Pessoal
Cabeça d’água
Segundo a Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (CEPDEC/SP), a cabeça d’água é o fenômeno de aumento rápido e repentino da água em cachoeiras, rios e lagos, devido às chuvas intensas nas cabeceiras ou em trechos mais altos do curso d’água, o que representa um grande perigo.
As pessoas devem evitar frequentar esses lugares em períodos chuvosos. A presença de folhas, o aumento do volume do som de cascata e a mudança da cor da água são alguns dos indicativos do fenômeno. Ao notar a presença de qualquer um desses sinais, deve-se sair imediatamente da água.
Rio Perequê teve formação de cabeça d’água após chuvas fortes
Addriana Cutino/ TV Tribuna
VÍDEOS: G1 em 1 minuto Santos

Compartilhar

You May Also Like

Deixe uma resposta