BCN 

Dez leitos de suporte ventilatório são habilitados em Barretos, SP; Prefeitura espera reduzir pressão hospitalar

Compartilhar


Diretoria de Saúde da qual cidade é sede foi rebaixada à fase vermelha do Plano SP por causa de alta na taxa de ocupação de UTIs. Pacientes de Araraquara foram transferidos para hospitais na região. Exemplo de leito de suporte ventilatório
Divulgação/Marcos Morelli
A Prefeitura de Barretos (SP) informou que a ampliação ao suporte de pacientes com Covid-19 a partir desta segunda-feira (22) pode aliviar a pressão sobre a rede hospitalar.
Na sexta-feira (19), os municípios da Diretoria Regional de Saúde (DRS) 5, da qual a cidade é sede, foram rebaixados à fase vermelha do Plano São Paulo por causa da taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Segundo o último balanço, o índice é de 82,2%.
Em nota, a Prefeitura informou que, na quinta-feira (18), dez leitos de suporte ventilatório foram habilitados pelo governo do estado no Hospital Nossa Senhora.
Ainda segundo a Prefeitura, o prefeito de Olímpia (SP), Fernando Augusto Cunha, informou que outros cinco leitos de suporte ventilatório entrariam em operação na Santa Casa da cidade nesta segunda-feira.
Segundo nota técnica do Ministério da Saúde, leitos de suporte ventilatório são equipados com ventilador pulmonar, aspirador de secreções, bomba de infusão, monitores, equipamento para ressuscitação e estetoscópio. Eles são usados para internação e para estabilizar pacientes mais graves até que possam ser transferidos para vagas em UTIs.
Região de Barretos foi rebaixada para a fase vermelha do Plano São Paulo
Reprodução/Plano São Paulo
Sobrecarga de leitos
Na sexta-feira, o secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, informou que o sistema de saúde foi pressionado pela transferência de oito pacientes de Araraquara (SP), que passa por colapso nos últimos dias.
No entanto, Vinholi informou que a região já apresentava crescimento no número de internações.
“Nós dialogamos com os hospitais e com as prefeituras da região e, dentro disso, mesmo que a gente desconsiderasse oito pacientes que foram transferidos de Araraquara para a região de Barretos, ela não chegaria no índice adequado pra ficar na fase laranja. Mas, segue aqui o nosso compromisso, assim que colocados esses [novos] leitos necessários para a região [de Araraquara] ter a segurança na área da saúde, nós vamos avançar a região [de Barretos] para a fase laranja imediatamente”, disse.
Com a reclassificação da região à fase vermelha, apenas serviços considerados essenciais podem funcionar.
Questionada se os pacientes de Araraquara não poderiam ter sido transferidos a hospitais de regiões com menor taxa de ocupação nas UTIs, a Secretaria Estadual de Saúde informou que o Sistema Único de Saúde (SUS) é universal e possui caráter regionalizado.
Segundo a secretaria, a Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde (Cross) verifica vagas disponíveis em hospitais do SUS no estado de São Paulo para as transferências.
“Há uma estratégia especial de gestão de leitos hospitalares, para dar prioridade à internação de pacientes com quadros respiratórios agudos e graves neste contexto da pandemia de Covid-19.”
Veja mais notícias da região no G1 Ribeirão Preto e Franca
Vídeos: Tudo sobre Ribeirão Preto, Franca e região

Compartilhar

You May Also Like

Deixe uma resposta