BCN 

Após 4 semanas fechados, empresários comemoram avanço de Franca, SP, à fase laranja

Compartilhar


Etapa mais flexível permite funcionamento de lojas, shoppings, restaurantes, salões e academias. Queda na ocupação de leitos de UTI Covid permitiu saída da região da fase vermelha. Com melhora nas UTIs, região de Franca avança para a fase laranja do Plano SP
Empresários de Franca (SP) comemoraram a reclassificação da região na fase laranja do Plano São Paulo. Com o anúncio feito pelo governo do estado, lojas, shoppings, restaurantes, salões de beleza e academias podem retomar o atendimento presencial a partir de segunda-feira (22).
Veja o que pode funcionar em Franca durante a fase laranja
Franca vai à fase laranja do Plano SP após 4 semanas na vermelha
As atividades consideradas não essenciais ficaram fechadas por quatro semanas consecutivas depois que a taxa de ocupação de leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) na região ultrapassou 80%.
O avanço para a etapa mais flexível foi possível por causa do aumento da oferta de vagas para tratar pacientes graves. Mais dez leitos entraram em operação no Ambulatório de Especialidades Médicas (AME) nesta sexta-feira, chegando a 15 no total.
Para a comerciante Soraya Carillo, que por um mês atendia os clientes da loja no formato drive-thru, a reabertura é sinônimo de esperança.
“A fase laranja, eu tenho certeza que tanto para mim quanto para todos os outros empresários, independentemente do ramo, é esperança. A fase vermelha nos aplacou, nossas vendas caíram muito, mais de 50%.”
A comerciante Soraya Carillo diz que avanço de Franca, SP, à fase laranja é esperança aos comerciantes
Jefferson Severiano Neves/EPTV
Por causa na queda do faturamento, Soraya teve que renegociar o valor do aluguel do estabelecimento para não fechar as portas. Agora, com a volta dos clientes à loja de roupas, ela espera amenizar o prejuízo e está otimista com a redução da Covid-19 na cidade.
“Nossa expectativa é que a gente não volte para a fase vermelha, que a gente continue na laranja por algum tempo, depois prossiga para as próximas fases, amarela e verde. Que todo mundo tome a vacina logo e que a gente volte à normalidade.”
Capacidade de 40%
As regras do Plano SP estabelecem o funcionamento de praticamente todas as atividades econômicas, exceto o atendimento ao público em bares. A capacidade de ocupação nos estabelecimentos está limitada a 40%.
O empresário Hugo Lemos espera reverter o prejuízo em Franca, SP
Jefferson Severiano Neves/EPTV
O empresário Hugo Lemos, que é dono de um bufê, calcula que o prejuízo com o negócio desde o começo da pandemia chegue R$ 100 mil.
“O faturamento que a gente perdeu, tanto eu como outros profissionais, é de um ano. Para a gente recuperar o que a gente perdeu vai mais um ano para a frente, para a gente trabalhar e tentar reconquistar.”
Lemos afirma que é essencial que todos os donos de estabelecimentos mantenham as medidas sanitárias para evitar que os índices da doença voltem a subir na cidade.
“Não adianta a gente liberar os 40% e todo mundo voltar sem usar máscara, sem usar o álcool em gel, porque aí a gente está no vermelho de novo. É voltar a trabalhar com segurança.”
Morador caminha de máscara pelo centro de Franca, SP
Jefferson Severiano Neves/EPTV
A Associação Brasileira de Profissionais e Empresas e Eventos calcula que o prejuízo seja de R$ 3 milhões em Franca.
Segundo o presidente Erismar Tanja, a fase mais restritiva do plano causou danos escalonados para o setor de eventos. Para ele, há maneiras de promover festas com segurança sanitária, independentemente da fase.
“Eu entendo que, em qualquer das fases, todos os setores, as festas, os eventos sociais, acontecem de forma responsável. Os nossos profissionais estão preparados para acompanhar o protocolo. Nós temos muitas opções que dá para se trabalhar em qualquer uma das fases e não precisa fechar esse setor tão produtivo.”
Veja mais notícias da região no G1 Ribeirão Preto e Franca
VÍDEOS: Tudo sobre Franca e região

Compartilhar

You May Also Like

Deixe uma resposta