BCN 

Cidades do centro-oeste paulista próximas a Araraquara adotam medidas para se prevenir da variante do coronavírus

Compartilhar


Aumento de novos casos da variante requer preparo dos municípios vizinhos que já sentem os reflexos da situação. Mostras de possíveis casos estão sendo enviadas para o Instituto Adolfo Lutz. Cidades da região do centro-oeste paulista próximas a Araraquara (SP) estabelecem novas medidas
JN
A confirmação dos 12 casos em Araraquara (SP) da nova variante do coronavírus vinda de Manaus (AM) levantou um alerta para as cidades do centro-oeste paulista que estão na região. Os municípios de Borborema, Itápolis, Ibitinga e Tabatinga estão criando novas medidas sanitárias de prevenção para evitar o espalhamento do vírus.
O prefeito de Tabatinga, Eduardo Ponquio Martinez, que também é médico, conta que na cidade as restrições de circulação da população foram ampliadas. Estão suspensas as aulas presenciais, as atividades religiosas e as atividades esportivas.
Além disso, de acordo com o novo decreto, devido à falta de patrulhas suficientes para fiscalizar a região, fotos ou vídeos de aglomerações vão passar a ser usados como prova para aplicar uma multa aos infratores.
Fiscalização é intensificada nas cidades próximas a Araraquara para prevenir nova variante
Em relação à presença da nova variante na cidade, Eduardo diz que os exames laboratoriais para identificar o novo vírus ainda não foram feitos, mas alerta que há a possibilidade de casos da nova variante já existirem na cidade.
“A gente tem visto uma complicação maior dos casos aqui em Tabatinga e também um aumento do número de casos. Então, a gente acredita que pela mudança do perfil dos casos, que possa estar circulando na nossa cidade”, explica o prefeito.
A cidade de Itápolis (SP) já entrou em contato com o Instituto Adolfo Lutz para confirmar se há alguma nova variante do coronavírus circulando no município e também para fazer um balanço das variantes em outras cidades.
Já em Bauru (SP), segundo a Secretaria Municipal de Saúde, 50 amostras foram enviadas ao instituto e a prefeitura aguarda os resultados para saber se a variante amazonense está presente na cidade que é a maior do centro-oeste paulista.
As medidas de prevenção se fazem fundamentais nas cidades próximas a Araraquara (SP), que pode viver um colapso, em um momento em que 143 pacientes estão ocupando os 110 leitos disponíveis na cidade.
Veja mais notícias do G1 Bauru e Marília.
Confira mais notícias do centro-oeste paulista:

Compartilhar

You May Also Like

Deixe uma resposta