BCN 

Arcebispo de Aparecida destaca mensagem da Campanha da Fraternidade: ‘é hora de pontes’

Compartilhar


Missas na quarta-feira de cinzas (17) tiveram rito alterado por causa da pandemia de Covid-19. Arcebispo Dom Orlando Brandes
Thiago Leon/Santuário Nacional
O arcebispo de Aparecida, Dom Orlando Brandes, destacou a mensagem de diálogo proposta pela Campanha da Fraternidade de 2021 durante a celebração da missa de quarta-feira de cinzas (17) no Santuário Nacional.
“Vamos derrubar os muros da inimizade. Jesus derrubou esses muros. Vamos construir pontes. Por que tantos muros? É hora de pontes”, disse Brandes.
A campanha da Igreja Católica foi lançada nesta quarta-feira pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e tem como tema ‘Fraternidade e Diálogo: compromisso de amor’.
No texto-base que detalha a iniciativa, a CNBB faz críticas relacionadas aos seguintes temas:
“Negação da ciência” durante a pandemia de Covid-19;
Atuação do governo federal no combate ao coronavírus;
Igrejas que não respeitaram o distanciamento social;
A “cultura de violência” contra mulheres, negros, indígenas e pessoas LGBTIQ+.
A campanha da fraternidade é tradicionalmente realizada pela Igreja Católica em parceria com instituições cristãs desde a década de 1960. O texto-base é escrito por membros do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (Conic) e passa pelo aval da direção-geral da CNBB.
O lançamento do tema ocorre sempre na quarta-feira de cinzas, quando tem início a Quaresma, período de 40 dias que antecede a Páscoa. O assunto é difundido nas celebrações e programações da comunidade religiosa.
Campanha da Fraternidade no Santuário Nacional de Aparecida
Thiago Leon/Santuário Nacional
Quarta-feira de cinzas
As missas da quarta-feira de cinzas teve mudanças no rito por causa da Covid-19. Para a proteção dos fiéis e sacerdotes, o vaticano solicitou mudanças no momento da imposição das cinzas.
Os sacerdotes devem higienizar as mãos antes de cada rito e permanecer em silêncio e com a máscara de proteção facial, assim como os fiéis.
Rito de Imposição das Cinzas: O sacerdote coloca as cinzas nas cabeças dos fiéis durante a celebração.
Thiago Leon/Santuário Nacional
Na celebração, Dom Orlando Brandes destacou ainda os ‘remédios que salvam’ os fiéis: a oração, o jejum, a meditação, e elevar sentimentos positivos e fraternos. O religioso reforçou também a importância da quaresma.
“Deixa o Pai te abraçar nessa quaresma. Deixe-se amar, tome esses santos remédios que nossa Páscoa de 2021 será muito especial porque também esperamos a morte do vírus e a ressurreição da saúde de todos”.
“Nosso jejum é pensar no estômago dos outros. E se não deixa o nosso um pouquinho vazio nunca vamos entender o estômago de quem tem fome, de quem é desempregado”, disse Brandes.
Veja mais notícias do Vale do Paraíba e região

Compartilhar

You May Also Like

Deixe uma resposta