BCN 

Escola estadual suspende aulas presenciais após professora testar positivo para Covid em Caçapava

Compartilhar


O caso foi confirmado na escola estadual José de Moura Rezende. De acordo com o sindicato, professora de educação física dava aula para alunos de 6° ao 9° ano quando teve sintomas e fez o teste. Escola estadual de Caçapava suspende aula presencial após caso de Covid-19
Uma escola estadual de Caçapava teve as aulas presenciais suspensas depois que uma professora testou positivo para Covid-19. A unidade tem cerca de 600 alunos, entre fundamental e Educação de Jovens e Adultos (EJA). A prefeitura informou que a vigilância epidemiológica acompanha o caso.
O caso foi confirmado na escola estadual José de Moura Rezende. De acordo com a Apeoesp, associação sindical que representa os professores, a professora de educação física que dá aulas para os alunos de 6° ao 9° ano apresentou os primeiros sintomas na última semana, procurou o médico e testou positivo.
Escola estadual suspendeu aulas após professor testar positivo para Covid
Daniela Lopes/TV Vanguarda
O resultado saiu no fim de semana e desde a segunda-feira (15) as aulas estão suspensas na unidade. Em nota, o governo estadual informou que casos suspeitos e confirmados são acompanhados e seguem os protocolos da Vigilância Sanitária do município. Informou ainda que as aulas seguem suspensas até a orientação da vigilância para a direção da unidade.
Este é o segundo caso na cidade. De acordo com o governo estadual, um professor da escola Doutor Pereira de Matos também testou positivo. De acordo com a Apeoesp, ele compareceu a capacitação de professores que acontecia de forma presencial no início do mês e dias depois sentiu os sintomas e testou positivo. O sindicato informou que ele segue internado na Santa Casa de Caçapava.
Como ele não tinha tido acesso aos alunos, porque as aulas presenciais ainda não tinham voltado, o caso foi acompanhado pela vigilância que orientou os profissionais com quem ele teve contato a procurarem o sistema de saúde. Sobre o caso, o governo estadual não informou se as aulas foram suspensas.
A Apeoesp informou que acompanha casos de professores com suspeita da doença nas cidades de Jacareí e Taubaté. A entidade reforça que os números já nos primeiros dias mostra o risco para professor e aluno. “Isso só reforça o que a gente vem dizendo, que é um risco para professor e aluno a volta às aulas presencial sem a imunização”, comentou Gilmar Ribeiro.
Veja mais notícias do Vale do Paraíba e região bragantina

Compartilhar

You May Also Like

Deixe uma resposta