BCN 

Crianças ficaram em casa com corpos dos pais após crime em Pereira Barreto, diz polícia

Compartilhar


Segundo a Polícia, Rafael da Silva cometeu suicídio APÓS matar a esposa. Filhas estavam na casa; uma presenciou o crime. Polícia acredita que mortes ocorreram às 3h e comunicado à polícia foi ao meio-dia, e que crianças podem ter ficado quase 10 horas com corpos. Rafael atirou na cabeça de Ariane e cometeu suicídio em seguida em Pereira Barreto
Arquivo Pessoal
As meninas de 3 e 5 anos que estavam na casa onde a mãe foi baleada na cabeça pelo pai, que se matou na sequência, em Pereira Barreto (SP), ficaram no imóvel com os corpos por um longo tempo após o crime registrado na sexta-feira (12).
Segundo a Polícia Civil, o crime foi durante a madrugada, por volta das 3h, e a ocorrência foi comunicada à polícia ao meio-dia, depois de quase 10 horas, período em que as crianças podem ter ficado na casa, no bairro Jardim Aeroporto, com os corpos.
Ao G1, o delegado Rafael Sangaleto disse que Rafael Washington Alves da Silva, de 32 anos, sacou uma pistola, atirou na cabeça de Ariane de Aguiar Araújo depois de uma discussão e cometeu suicídio. Depois do crime, as meninas ainda maquiaram o corpo da mãe.
“O crime foi, sim, presenciado por uma das meninas, uma das filhas. As meninas acabaram maquiando a mãe porque disseram que queriam ver a mãe mais bonita”, afirmou o delegado.
Policiais militares foram acionados para atender ocorrência em Pereira Barreto
Anderson Antunes/TV TEM
A Polícia Militar foi acionada depois que as crianças pediram ajuda aos vizinhos e encontrou o casal baleado na sala do imóvel. A Polícia Civil também foi chamada.
As duas meninas foram deixadas sob cuidados da avó materna. Os corpos de Rafael e Ariane foram sepultados no Cemitério Municipal de Pereira Barreto.
Ainda de acordo com o delegado, o homem já tinha sido detido por esfaquear a vítima nas costas no ano passado. Ariane chegou a se mudar de cidade e solicitou medida protetiva contra o marido. Contudo, voltou com o relacionamento e a medida foi retirada.
“O Rafael já havia sido preso a uns quatro meses atrás por lesão corporal. Foi uma lesão leve, mas utilizando uma faca. Ela se mudou, mas retornou para a cidade e reatou o relacionamento. A medida protetiva contra o homem foi retirada”, disse.
Veja mais notícias da região no G1 Rio Preto e Araçatuba
VÍDEOS: veja as reportagens da região

Compartilhar

You May Also Like

Deixe uma resposta