BCN 

Serrana, SP, vai ter vacinação em massa contra Covid-19 em projeto do Butantan, diz Dimas Covas

Compartilhar


Expectativa é imunizar 30 mil moradores em dois meses com a CoronaVac, segundo o diretor do Instituto. Anúncio foi feito durante uma live nas redes sociais da Prefeitura na noite de sábado (6). Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, em live nas redes sociais da Prefeitura de Serrana (SP)
Reprodução
Serrana (SP) vai ter vacinação em massa em moradores da cidade maiores de 18 anos contra a Covid-19 ao fazer parte de um projeto de pesquisa do Instituto Butantan. O anúncio foi feito durante uma transmissão ao vivo nas redes sociais da Prefeitura na noite de sábado (6), com a presença do diretor do instituto, Dimas Covas.
O munícipio, que segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) tem 45.844 habitantes, receberá doses da CoronaVac suficientes para atender a população e projeta iniciar a vacinação em massa no dia 17 de fevereiro.
Os lotes do imunizante são exclusivos para o estudo e não interferem na distribuição realizada a outras cidades do Brasil.
“A ideia é vacinar o maior número de pessoas da população adulta. Nós estamos prevendo uma vacinação que pode chegar a 30 mil pessoas. E, com isso, a gente acompanha a evolução da epidemia. Tem aspectos técnicos que vão permitir fazer cálculos, fazer projeções, que vão calcular se a vacina é eficaz em diminuir a transmissão ou não, qual a porcentagem. Tem toda uma metodologia que vai permitir que isso seja feito”, explicou Covas.
O diretor explicou que, no ano passado, a cidade passou por um inquérito sorológico para saber a prevalência do novo coronavírus na população. Os resultados apresentaram números elevados, que chamara a atenção do Butantan. Em uma das fases, chegou-se a mostrar que 5% dos moradores estavam ativos para a Covid-19.
Ainda segundo dados apresentados na transmissão ao vivo, o município tem cerca de 10 mil habitantes que se deslocam diariamente para a região por conta de trabalho, o que pode favorecer a propagação do novo coronavírus.
Além disso, Serrana fica próxima a Ribeirão Preto (SP), importante polo de saúde do estado do país, que fornece estrutura de apoio para a pesquisa. Por isso, a escolha da cidae para a pesquisa, segundo Covas.
Serrana (SP), cidade de 45,6 mil habitantes na região de Ribeirão Preto
Reprodução/EPTV
Metodologia
De acordo com Ricardo Palácios, diretor de pesquisa do Instituto Butantan, o projeto é um ensaio clínico escalonado com o objetivo de avaliar a efetividade da vacina aplicada em massa com o vírus desativado para comprovar se o imunizante é capaz de interromper a transmissão da doença.
A participação da população é voluntária, e não obrigatória, ainda segundo Palácios.
“A primeira pergunta que queremos responder com esse estudo é: será que com essa vacina vamos realmente sair desta pandemia? Nós já sabemos que essa vacina é segura e eficaz, mas agora, quando pensamos no coletivo, na sociedade, será que nós vamos conter a pandemia com essa vacinação? Não estamos pensando em pessoas isoladas. Estamos pensando em comunidades. Para que esse estudo dê certo, a comunidade como um todo tem que participar”, disse.
Para isso, a cidade foi divida em 25 partes, que depois formaram quatro regiões, separadas por cores. Durante a semana, de quarta-feira a domingo, será feita a vacinação dos moradores de cada cor.
Somente moradores da cidade podem participar. Mulheres grávidas ou em amamentação, quem teve febre nas últimas 72 horas antes da vacinação e portadores de doenças. Um médico vai orientar a população no local das aplicações.
Serrana foi dividida em cores para estudo de vacinação em massa contra Covid-19
Reprodução
Cronograma da 1ª dose
Um sorteio durante a transmissão ao vivo, com representantes de cada região, definiu a sequência da vacinação. Agora, essas pessoas, junto com a Prefeitura, serão responsáveis por orientar os moradores.
1ª região (verde): 17 a 20 de fevereiro
2ª região (amarelo) : 24 a 27 de fevereiro
3ª região (cinza): 3 a 6 de março
4ª região (azul): 10 a 13 de março
A partir de quarta-feira (10), será feito um cadastro dos moradores, que serão previamente orientados sobre qual região ele pertence. São quatro semanas para aplicação da primeira dose e quatro para a segunda. A expectativa é de que em dois meses a vacinação em massa seja concluída.
“Quanto maior for a adesão da população nessa vacinação, maior será a contribuição que o município vai dar ao mundo. Esse resultados serão disponibilizado pelo mundo (…) É justamente essa vacinação em onda que permitem as comparações”, disse Dimas Covas.
O munícipe não pode ir em outro dia que não seja da cor a qual pertence a região onde ele mora, segundo a metodologia da pesquisa. A Secretaria Municipal de Saúde vai utilizar oito escolas para a aplicação das doses, determinados por cada área do estudo.
E.E Jardim das Rosas
E.E Neusa Maria do Bem
EMEF Dilce Jorge G.N. França
EMEF Edésio M. de Oliveira
EMEF Paulo Sérgio Betarello
EMEF Maria Celina W. de Assis
E.E Dep. José Costa
EMEF Jardim Dom Pedro I
Locais de vacinação em massa contra Covid-19 para estudo do Butantan em Serrana
Reprodução
Initial plugin text
Veja mais notícias da região no G1 Ribeirão Preto e Franca
VÍDEOS: Tudo sobre Ribeirão Preto, Franca e região

Compartilhar

You May Also Like

Deixe uma resposta