BCN 

MPT em Campinas registra alta de denúncias de irregularidades, e 34% têm elo com pandemia

Compartilhar


Levantamento indica que 89 municípios da circunscrição de Campinas reuniram 3.616 queixas durante 2020, um terço delas ligada aos reflexos da crise sanitária. Veja como denunciar. A sede do MPT, em Campinas
Fernando Pacífico / G1
O Ministério Público do Trabalho da 15ª Região (MPT-15), em Campinas (SP), recebeu 3.616 denúncias trabalhistas durante 2020 em 89 municípios da área de circunscrição da metrópole, alta de 8% sobre as 3.348 registradas no ano anterior. Os dados mostram que 34% têm elo com a pandemia.
A área considerada abrange cidades das regiões de Campinas, Piracicaba e Jundiaí. A cobertura da instituição, porém, chega a 599 cidades no estado de São Paulo e o total de denúncias foi de 7.934.
Denúncias trabalhistas
34% têm elo com a pandemia: falta de equipamentos de proteção individual (EPIs), não afastamento de funcionários em grupo de risco, falta de planejamento do ambiente de trabalho, ausência de insumos para higiene;
66% tratam de situações diversas: jornada de trabalho irregular, não pagamento de salários e benefícios, falta de recolhimento das obrigações fundiárias e previdenciárias, problemas diversos decorrentes do meio ambiente do trabalho (saúde e segurança);
O procurador do trabalho Everson Rossi diz que o aumento de denúncias na área de Campinas está associado ao fato da economia ter sido afetada pela pandemia do novo coronavírus. Ele destaca abertura de procedimentos pelo MPT para monitorar a proteção do trabalho e garantia de prevenção.
“A Região Metropolitana de Campinas é muito industrializada e demanda maior concentração econômica. A Covid-19, sem dúvida, acabou por alterar essa economia gerando muitas vezes mais irregularidades trabalhistas e denúncias”, explica. Veja abaixo como as denúncias podem ser feitas.
O número total de denúncias recebidas na área do MPT-15, em 2020, apresenta uma redução de 3,16% no comparativo com as 8.193 queixas recebidas no ano anterior, segundo levantamento da assessoria. Com sede em Campinas, o órgão tem ainda unidades administrativas em Araçatuba, Araraquara, Bauru, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto e São José dos Campos.
Segundo Rossi, o foco de atenções do órgão neste início de ano continua direcionado para o mercado de trabalho, frente aos desdobramentos da crise sanitária, ainda que a vacinação tenha começado, uma vez que a maioria dos trabalhadores ainda terá de esperar algum tempo até receber a dose.
“Enquanto estiver sob pandemia, temos a obrigação de voltar nossas atenções ao trabalhador frente à Covid-19”, pondera o procurador ao destacar a necessidade fornecimento de equipamentos para proteção, itens para higiene, álcool em gel, e aplicação de medidas para evitar transmissão. Acidentes, condições degradantes e exploração do trabalho infantil também são temas prioritários.
Dados por área
2019
Circunscrição Campinas: 3.348
MPT-15: 8.193
2020
Circunscrição Campinas: 3.616
MPT-15: 7.934
Setores
De acordo com o MPT, os três principais alvos das denúncias na área de Campinas foram:
Administração pública em geral: 332
Atividades de atendimento hospitalar: 173
Atividades de organizações sindicais: 133
Serviços
Denúncias podem ser encaminhadas ao MPT por meio de site oficial da instituição.
Veja mais notícias da região no G1 Campinas.

Compartilhar

You May Also Like

Deixe uma resposta