Bolsonaro sobre áudio vazado: “Se grampearam, é desonestidade”

Foto: André Borges

Em conversa com parlamentares, o presidente articulou derrubar o Delegado Waldir da liderança do PSL na Câmara

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) demonstrou insatisfação com áudio vazado na imprensa na noite dessa quarta-feira (16/10/2019). A gravação, divulgada com exclusividade pela revista Crusoé, mostra o mandatário da República articulando para tirar o Delegado Waldir da liderança do PSL na Câmara dos Deputados e colocar o filho 03, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), no posto.

“[Parlamentares] deram uma de jornalista? Eu converso com deputados. Não trato publicamente desses assuntos, converso individualmente. Se alguém grampeou o telefone, primeiro é uma desonestidade”, disse o presidente ao sair do Palácio da Alvorada, nesta quinta-feira (17/10/2019).

Os áudios divulgados mostram diálogos entre o presidente Jair Bolsonaro e parlamentares do PSL nos quais o mandatário do país avisa: “Olha só, estamos com 26, falta uma assinatura para a gente tirar o líder e botar o outro”.

Os áudios divulgados mostram diálogos entre o presidente Jair Bolsonaro e parlamentares do PSL nos quais o mandatário do país avisa: “Olha só, estamos com 26, falta uma assinatura para a gente tirar o líder e botar o outro”.

Questionado por jornalistas, o titular do Planalto não respondeu se pretende pedir ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, para investigar a origem do áudio.

Nessa quarta, o líder do governo na Câmara federal, Vitor Hugo (GO), afirmou que os aliados do presidente na bancada, que tem 53 membros, conseguiram 27 assinaturas para derrubar Waldir.

O próprio Bolsonaro ligou para os parlamentares pedindo que eles assinassem o documento. Mais cedo, Waldir atacou duramente o titular do Palácio do Planalto. Os filhos 01 e 03 do presidente também entraram na mira do delegado.

Os áudios divulgados mostram diálogos entre o presidente Jair Bolsonaro e parlamentares do PSL nos quais o mandatário do país avisa: “Olha só, estamos com 26, falta uma assinatura para a gente tirar o líder e botar o outro”.

Questionado por jornalistas, o titular do Planalto não respondeu se pretende pedir ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, para investigar a origem do áudio.

Nessa quarta, o líder do governo na Câmara federal, Vitor Hugo (GO), afirmou que os aliados do presidente na bancada, que tem 53 membros, conseguiram 27 assinaturas para derrubar Waldir.

O chefe do Executivo declarou que não trata publicamente de assuntos sobre a liderança e, se caso o telefone dele tenha sido grampeado, foi uma “desonestidade”. Fonte: Metrópoles

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *