Caixa começa a cobrar taxas mais baixas para crédito imobiliário

Foto: Reprodução/BCN

Redução passa a valer a partir desta segunda-feira (14). Confira os menores juros ofertados por seis bancos em linhas para compra da casa própria

A redução de até um ponto porcentual das taxas de juros para financiamentos imobiliários da Caixa, com recursos do SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo), começa a valer a partir desta segunda-feira (14).

A menor taxa de juros passará de 8,5% mais a TR (Taxa Referencial) para 7,5% mais a TR.

Nas últimas semanas, além da Caixa, outros cinco bancos anunciaram a redução de suas taxas para o financiamento imobiliário: Banco do Brasil, Bradesco, Itaú Unibanco, Santander e Banco Inter.

O juro menor, de 7,30% ao ano mais TR (Taxa Referencial), é oferecido pelo Bradesco. O maior, de 7,99% ao ano + TR, pelo Santander. O prazo de financiamento é de 360 meses (30 anos) a 420 meses (35 anos).

A pedido do R7, a Melhortaxa, startup que auxilia na busca por juros mais adequados, fez uma simulação de financiamento com a menor (7,30%) e maior (7,99%) taxa.

Imóvel de R$ 200 mil

Em um financiamento de um imóvel de R$ 200 mil em 360 meses, considerando uma renda familiar de R$ 6,5 mil, com a taxa de 7,30%, o valor da primeira parcela seria de R$ 1.820,88 e a última, de R$ 609,43.

O mesmo exemplo, com a taxa de 7,99%, o valor da primeira parcela passaria para R$ 1.928,37 e o da última, de R$ 609,73.

Considerando um imóvel de R$ 200 mil para ser financiado em 420 meses. Com a taxa de 7,30%, o valor da maior parcela seria de R$ 1.741,51 e o da menor, de R$ 529,58.

Em exemplo similar com a maior taxa, mensalidade seria de R$ 1.849,00, e o da menor, de R$ 529,84.

Arte R7

Queda na Selic iniciou série de redução nas taxas

Conhecida como taxa básica de juros, a Selic vem registrando uma série de quedas, passando de 14,25% para 5,5%, nos últimos dois anos. A última redução ocorreu na reunião do Copom (Comitê de Política Monetária), do BC (Banco Central) no dia 18 de setembro. 

A previsão do mercado financeiro é que o país feche o ano com a Selic em 4,75% ao ano, o que seria um novo recorde histórico.

Essa expectativa vem fazendo com que os bancos se movimentem para oferecer condições mais atrativas de financiamento imobiliário e outras linhas de crédito. 

Juros menores deixam portabilidade atraente

Com a redução das taxas do crédito imobiliário nos principais bancos, a portabilidade passou a ser uma boa alternativa para quem quer reduzir um pouco o montante da dívida do financiamento da casa própria.

Uma simulação desenvolvida pela Melhor Taxa, startup que auxilia na busca por juros mais adequados, mostra que é possível economizar quase R$ 200 mil ao optar pela portabilidade de um financiamento realizado em 2016, com taxa de juros de 10,7%, no valor de R$ 500 mil. Fonte: R7

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *