PF apreende arma e documentos na casa de João de Deus, em Anápolis

Foto: Reprodução/ TV Anhanguera

Ministério Público de Goiás acompanhou ação em residência, que já havia sido alvo de busca e apreensão. João de Deus está preso desde dezembro acusado de abusos sexuais e posse ilegal de armas. Ele nega os crimes.

A Polícia Federal cumpriu mandado de busca e apreensão na casa de João Teixeira de Faria, conhecido como João de Deus, na manhã desta quarta-feira (7), em Anápolis, a 55 km de Goiânia. De acordo com o promotor de Justiça Luciano Miranda, que acompanhou todo a ação, foram apreendidos documentos, extratos bancários, arma de fogo e munição. João de Deus já foi denunciado dez vezes. Ele é réu em nove casos, sendo dois deles por posse ilegal de armas de fogo e munição.

De acordo com Miranda, o Ministério Público avalia a possibilidade de oferecer uma nova denúncia contra João de Deus por posse ilegal de arma de fogo.

Segundo o promotor, entre os documentos encontrados, há duas carteiras funcionais – uma de agente prisional e outra da inteligência da Polícia Militar. Como não há, até o momento, nenhum registro de que João de Deus tenha atuado em qualquer um desses cargos, os investigadores irão analisar os documentos para verificar se são falsos e qual a origem.

“Ele se diz analfabeto. Até onde o Ministério Público sabe, ele nunca foi agente prisional, nem policial militar”, afirmou Miranda.

O G1 entrou em contato, por telefone, com o advogado Anderson Van Gualberto de Mendonça, que assumiu recentemente a defesa de João de Deus. Segundo Mendonça, a defesa não tinha conhecimento do mandado de busca e apreensão e ainda não foi intimada em relação a esse caso.

A reportagem entrou em contato com a assessoria da Polícia Militar de Goiás, que informou que a carteira de inteligência com o nome e foto de João de Deus é “totalmente falso, furado, não tem validade nenhuma, sequer foi expedido por um órgão sério”.

Já a Diretoria Geral de Administração Penitenciária (DGAP), informou, por meio de nota, que somente a Polícia Civil poderá dizer se a carteira de agente prisional é falsa ou não, após a realização de perícia. Também afirmou que João de Deus não é servidor do órgão.

A residência onde os documentos foram encontrados já havia sido alvo de busca e apreensão pela polícia. A nova busca foi autorizada pelo Poder Judiciário de Anápolis, após o Ministério Público de Goiás receber uma denúncia de que haveria armas e dinheiro na residência.

No local, além da arma de fogo e munição, foram encontrados extratos bancários que também serão analisados. Não foi encontrado dinheiro em espécie na casa. Fonte: G1

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *